Servidores da UERR concluem o estágio probatório e são estabilizados.

     

    Na manhã desta segunda-feira (24), o reitor da UERR (Universidade Estadual de Roraima), Nonato Vilarins, assinou a portaria de estabilização dos primeiros servidores efetivos do quadro técnico-administrativo de nível médio e superior e da carreira de magistério superior da instituição.

    Com isso, 63 aprovados do concurso público realizado em 2006 concluíram a avaliação para a estabilização no serviço público, o chamado estágio probatório. Cada servidor foi avaliado quanto a sua assiduidade, pontualidade, responsabilidade, iniciativa para exercer as atribuições do cargo e etc.

    Participaram da solenidade o governador de Roraima, José de Anchieta, o deputado federal Luciano Castro e diversos secretários de Estado. Durante o evento, o reitor lembrou que a universidade leva o ensino superior a 80% dos municípios, ofertando 22 cursos de graduação para cerca de cinco mil estudantes.

     

    Todo este quadro demanda uma grande logística e para atender melhor a comunidade acadêmica a UERR já realizou dois concursos públicos, o que reflete a preocupação do governo do Estado em investir em pessoal. “Estamos valorizando os profissionais com a realização destas contratações. Daremos sempre prioridade a servidores concursados”, disse Vilarins.

     

    Em seu discurso, Anchieta falou que estruturar e melhorar a qualidade do ensino superior são propostas relevantes e que já foram atingidos bons resultados. “A sensação de união por parte dos servidores para melhorar a qualidade dos serviços prestados é muito positiva”, disse o governador ao destacar a oportunidade que a sociedade roraimense, principalmente do Interior, ganhou com a criação da Universidade Estadual.

     

    A assistente administrativa, Sâmia Araújo, disse que o Estado precisa de servidores bem capacitados e que a realização de concursos elevam a qualidade do serviço público. “O Estado tem se mostrado preocupado com a política de oferecer a oportunidade de estabilidade de trabalho à população”, disse.