Presidente da ABRUEM participa de painel no 'Pautar Brasil' sobre o diploma em jornalismo.

    Com o tema “O poder das profissões e a responsabilidade dos profissionais”, o encontro se destaca como uma contribuição do Brasil ao Fórum Mundial de Profissões para Sustentabilidade, a ser realizado em maio de 2010, em Brasília.

     

    O presidente da Associação Brasileira dos Reitores das Universidade Estaduaia e Municipais (ABRUEM) e reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa, João Carlos Gomes, participou dia 25, do encontro “Pautar Brasil 2009”, que iniciou sua programação, hoje, dia 24, no Auditório Petrônio Portela do Senado Federal, em Brasília (DF). No encontro, João Carlos Gomes participou do painel “A exigência de diploma profissional. O caso dos jornalistas e os reflexos nas outras profissões e cursos”, que contou ainda com a presença da professora-doutora Magda Rodrigues da Cunha, diretora da Faculdade de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, e representante da Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (ABRUC); senador Antonio Carlos Valadares (PSB); e José Augusto Viana Neto, coordenador do Fórum dos Conselhos e Ordens Federais de Profissões Regulamentadas e do Fórum dos Conselhos Regionais de São Paulo.

     

    A edição 2009 do ‘Pautar Brasil’ apresenta como tema “O poder das profissões e a responsabilidade dos profissionais”, e se destaca como uma contribuição do Brasil ao Fórum Mundial de Profissões para Sustentabilidade, com realização em maio de 2010, em Brasília. Durante a programação do ‘Pautar Brasil’ (24 e 25/8), se discutiu o risco da desregulamentação de profissões. Na terça-feira (25), o encontro registrou, ainda, os temas ‘Concurso público para a seleção de servidores. Pacífico ou não obrigatório?, ‘Parcerias no enfretamento ao diploma falso e na promoção do registro profissional’, MEC, universidades, conselhos contratantes’, ‘O ensino técnico e tecnológico como vetor de desenvolvimento profissional e das profissões com sustentabilidade’, ‘Proposta de Emenda Constitucional dando novas diretrizes aos Conselhos, e ‘Atualização da nomenclatura das profissões. O que vem depois das engenharias?’.

     

    O ‘Pautar Brasil’ abriu o seu programa, na segunda-feira, dia 24, com o painel ‘Projeto de Lei da Regulamentação das Anuidades dos Conselhos Profissionais’. Também neste dia entrou em debate os temas ‘O futuro dos Conselhos e Ordens de Fiscalização. Cenário e projeções’, ‘A natureza jurídica dos Conselhos. Caso pacífico ou cabe Lei Orgânica dos Conselhos Profissionais. Qual o melhor modelo?’, ‘Como organizar a assessoria parlamentar e tramitação de projetos no Congresso Nacional’, ‘A importância dos Conselhos para a sociedade brasileira e o desenvolvimento profissional’, ‘Obrigatoriedade da anuidade x ações judiciais’, e ‘Profissões e profissionais do futuro. A educação globalizada para a sustentabilidade do planeta’. Outras informações sobre temas e palestrantes do Pautar Brasil acessar www.pautarbrasil.org.br

     

     DEFESA E PEC

    Com uma posição de defesa à obrigatoriedade do diploma em Jornalismo, João Carlos considera a formação superior na área como uma garantia de qualificação dos profissionais para o exercício dessa atividade de relevância social que exige conhecimento específico, ética, responsabilidade e visão crítica. “Esses atributos têm referência no meio do estudo acadêmico, da pesquisa e da extensão, bases inequívocas dos processos de construção do conhecimento”. Para o reitor da UEPG, o diploma para os graduados em Comunicação Social – Jornalismo é a comprovação dessa trajetória de preparo adequado para o exercício profissional e, por isso, imprescindível. “O curso de jornalismo da UEPG tem demonstrado a sua capacidade de formação de bons profissionais e cidadãos e destaca a sua atuação na área, em avaliações externas, tanto por parte do Ministério da Educação como do mercado de trabalho por meio de órgãos de imprensa que abrigam nossos egressos”.

     

    No painel que tratou da exigência de diploma profissional, a presença do senador Antonio Valadares  permitiu o debate sobre a PEC 33/2009 (Proposta de Emenda à Constituição), de sua autoria, que aponta que o exercício da profissão de jornalista será privativo de portador de curso superior de comunicação social, com habilitação em jornalismo, expedido por curso reconhecido pelo Ministério da Educação. Além disso, a PEC 33/2009 acrescenta um parágrafo único, que torna facultativa a exigência do diploma para colaboradores. No compromisso de aperfeiçoar o texto da PEC, Antônio Valadares deverá solicitar, também, que o Senado realize audiências públicas na Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJ), com representantes de associações e federações de jornalistas e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), além de estudantes e jornalistas.