Índice Geral de Cursos/Ministério da Educação: Unimontes entre as melhores do País.

     

     

    A Universidade Estadual de Montes Claros obteve posição de destaque em mais uma avaliação oficial do Ministério da Educação, divulgada na última segunda-feira (31). No Índice Geral de Cursos (IGC), a Unimontes conquistou a nota 4 (bom) na escala de 0 a 5, com 304 pontos, ocupando o 43º lugar entre as 2001 instituições avaliadas (públicas e privadas). Ainda segundo o estudo, apenas 5% (120) das universidades, faculdades e centros universitários avaliados pelo governo federal obtiveram o conceito 4.

     

    “Mais uma vez, ao divulgar os indicadores de qualidade das instituições de ensino superior do País, o Ministério da Educação atesta a boa classificação da Unimontes”, observa o reitor, professor Paulo César Gonçalves de Almeida. Ele destaca que o IGC analisa, sob média ponderada, os cursos de graduação e de pós-graduação, sendo que nesse último particular, a Unimontes passou a oferecer os seus mestrados próprios (sete no total) nos últimos sete anos.

     

    Por sua vez, a professora Maria Ivete Soares de Almeida, pró-reitora de Ensino, lembra que o IGC leva em consideração não apenas o desempenho dos acadêmicos ingressantes e concluintes no Enade, mas, também, a infra-estrutura, recursos didáticos e titulação docente. Além disso, observa que, somente 53% dos 54 cursos da Unimontes foram avaliados em sua integridade, pois os demais ainda não encerraram o ciclo avaliativo (alunos ingressantes/alunos concluintes).

     

    “Se faz necessária esta observação sobre o processo avaliativo da Universidade Estadual de Montes Claros no IGC. Neste contexto, o conceito 4 demonstra, inequivocadamente, que a nossa instituição continua avançando na qualidade do ensino, enquanto vanguarda da discussão e do conhecimento”, acrescenta a pró-reitora de ensino.

     

    VINTE ANOS - O reitor Paulo César de Almeida ressalta que a Unimontes vive seu processo de estruturação, tendo apenas 20 anos na condição de instituição pública – a serem completados no próximo dia 21. Atualmente, são mais de 12 mil alunos matriculados em 11 campi no Norte de Minas, Noroeste e Vale do Jequitinhonha (abrangência de mais de 30% do território mineiro).

     

    “O fortalecimento de uma Universidade não acontece da noite para o dia. De forma gradativa e coletiva, principalmente nos últimos sete anos, conseguimos avançar consideravelmente em todas as áreas do conhecimento”, analisa o reitor, destacando, dentre outros pontos, os mais de 200 projetos de pesquisa em andamento, assim como os 75 projetos de extensão permanentes e os programas de capacitação docente (mestrados e doutorados).

     

    “Os desafios da Unimontes são permanentes. Vamos continuar buscando ampliação e a consolidação dos programas de pós-graduação e o incremento da pesquisa científica e, para isso, contamos com a participação e a dedicação da comunidade acadêmica, além do valioso e decisivo apoio do Governo de Minas”, afirma o professor Paulo César de Almeida.