Edital de Biotecnologia da FAPEMIG já tem resultado.

     

    Com o objetivo de apoiar pesquisas em um dos setores mais fortes e estratégicos de Minas Gerais, a Biotecnologia, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) acaba de divulgar o resultado do Edital de biotecnologia e bioensaios (Edital 18/09). Ao todo serão destinados mais de R$ 1,9 milhão em recursos para a pesquisa em áreas de interesse da saúde pública regional e do meio-ambiente. Este ano, nove propostas foram aprovadas dentre as 31 recebidas pela Fundação. A relação das propostas aprovadas está no site da Fundação.

    As pesquisas apoiadas se enquadram em linhas temáticas, tais como doenças negligenciadas; doenças infectocontagiosas; zoonoses; controle da qualidade de alimentos ou da água; produtos originários da biodiversidade e monitoramento ambiental. A idéia é que os projetos financiados pela FAPEMIG possam ser inseridos em mercados nacionais ou internacionais visando o desenvolvimento e o aperfeiçoamento de insumos de kits de diagnóstico, de monitoramento ou para fins terapêuticos.

     

    Julgamento cego

    O edital 18/09 foi o primeiro da FAPEMIG a ter julgamento cego das propostas. Isso significa que os especialistas que avaliaram os projetos não tiveram conhecimento sobre os nomes dos pesquisadores que os assinam. De acordo com os novos procedimentos, as propostas foram analisadas em quatro etapas. Na primeira, enquadramento, que é eliminatória, as propostas foram analisadas pelo corpo técnico da FAPEMIG, que verificou se elas atendiam aos termos do edital. Na segunda etapa, mérito da proposta, o conteúdo técnico das propostas habilitadas foi analisado por uma comissão especial formada por especialistas na área. A análise de mérito baseou-se numa pontuação máxima de 100, sendo eliminadas as que obtiveram nota inferior a 70 pontos.

    Na terceira etapa, qualificação da equipe e das instituições, as propostas com mérito reconhecido pela comissão foram avaliadas quanto à capacidade e à qualificação da equipe e das instituições parceiras envolvidas no projeto, que também tiveram pontuação máxima de 100, sendo eliminadas as propostas que obtiverem nota inferior a 70. No ranqueamento, as propostas recomendadas foram listadas por ordem decrescente de notas, sendo contratadas até o limite de recursos disponibilizados no edital.