Edital MCT destina R$60 milhões a universidades estaduais e municipais do país.

     Investir na área de pesquisa e pós-graduação é investir no futuro e contribuir de forma decisiva para o desenvolvimento do país.  Com esse olhar promissor se efetivou nesta sexta-feira (27), a assinatura de uma série de convênios voltados ao desenvolvimento tecnológico e empresarial. Dentre eles está o Edital assinado entre Ministério da Ciência e Tecnologia e a Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), na sede do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), em Curitiba.

     

    O objetivo do Edital referente à Chamada Pública MCT/FINEP/CT – INFRA-INFRAESTRUTURA DE PESQUISA EM UNIVERSIDADES PÚBLICAS ESTADUAIS E MUNICIPAIS, é selecionar propostas para  apoio financeiro à execução de projetos  visando a consolidação de infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica em universidades estaduais e municipais do país.

     

    O recurso liberado pelo governo federal é da ordem de R$60 milhões, através da aprovação de projetos institucionais, sendo 50% provenientes da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e os outros 50% de contrapartida dos governos gestores das instituições de ensino. Este investimento permitirá o apoio à pesquisa preferencialmente de grupos emergentes que tenham atividades de pesquisa reconhecidas e vinculados a cursos de pós-graduação em fase de implementação. 

     

    Ao assinar o edital o ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, falou da importância desse evento que consolida as ações do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. “Temos uma política ampla e um plano de ação com parcerias em vários ministérios, priorizando a consolidação da produção científica nacional, a promoção de ações que busquem propiciar os avanços tecnológicos dentro das empresas e o estímulo ao desenvolvimento de pesquisas dentro das instituições de pesquisa e principalmente das universidades”, salientou Rezende.

     

    Segundo o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, esses acordos vão facilitar o acesso a recursos do governo federal. “Tivemos a determinação de não reduzir os recursos dos programas estratégicos do governo, apesar da crise mundial”, afirmou Bernardo.

     

    O governador do Paraná, Roberto Requião, aposta na inovação e no estímulo à pesquisa. “O Estado é parceiro, investindo pesado na inovação e na produção tecnológica, dando condições às universidades através do financiamento de pesquisas”, disse Requião.

     

    De acordo com a secretária Lygia Lumina Pupatto, da Ciência , Tecnologia e Ensino Superior  do Paraná, o governo do Paraná  proporcionou o fortalecimento e desenvolvimento das pesquisas tecnológicas. “Nesse processo, o nosso desafio é levar o conhecimento gerado em nossos laboratórios até a população”, afirmou.

     

    O presidente da Abruem, reitor João Carlos Gomes destacou a importância do Edital na consolidação de infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica nas universidades estaduais.“O edital é o resultado de uma antiga reivindicação junto ao governo federal, que beneficiará as universidades estaduais e municipais que congregam cerca de 50% dos alunos de mestrado e doutorado matriculados do país. Não há como fazer um projeto de incentivo à pesquisa sem estas universidades que são as principais responsáveis pela interiorização do ensino no Brasil”, ressaltou o presidente da Abruem, enfatizando que o edital só foi possível em função da ampla articulação entre os governos estaduais, o governo federal e as entidades de apoio à ciência e tecnologia.

     

    O presidente da Finep, Luís Manoel Rebelo Fernandes, frizou que o conjunto de iniciativas visando promover a inovação, investimento e apoio à infraestrutura para consolidar empresas tem se materializado em parceria com os governos estaduais. “Só da FINEP foram aportados 157 milhões no Estado do Paraná”, disse Fernandes.

     

    Estiveram presentes na cerimônia de assinatura do edital, o governador do Paraná, Roberto Requião; a secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Lygia Lumina Pupatto; o presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná, Aldair Rizzi; os ministros da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende; e do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo; além do presidente da Finep, Luis Fernandes, de pesquisadores e de representantes de universidades estaduais e municipais de 12 estados brasileiros.