Núcleo Amazonia Meridional tem projeto de pesquisa aprovado pelo Cnpq.


     

    “Inventário, conservação e valoração de alternativas sustentáveis do uso da Biodiversidade na Amazônia Meridional”, esse é o título do projeto de Pesquisa aprovado pelo edital do MCT/CNPQ – PPBio. O projeto é parte das ações do Núcleo da Amazônia Meridional que é coordenado pela Unemat, por meio do Campus Universitário de Alta Floresta, e do Programa de Pesquisa em Biodiversidade da Amazônia- convênio MCT/GOELDI/Unemat/Fapemat/Secitec e que tem parceria com a UFMT e conta com o apoio da Sema e ICMBio.

    A Unemat participa do programa por meio dos pesquisadores dos campi de Alta Floresta, Cáceres e Tangará da Serra. A UFMT integra a equipe com pesquisadores dos campi da universidade em Rondonópolis e Cuiabá. São ao todo 49 participantes entre os pesquisadores, colaboradores, técnicos e estagiários. Estão incluídos também na equipe colaboradores de outras instituições que não estão inseridas na região amazônica como é o caso da Universidade Federal do Rio Grande do Sul(UFRGS).

    O Núcleo da Amazônia Meridional em sua nova estrutura possui dois coordenadores a professora doutora Célia Regina Araújo Soares, que está na coordenação técnica e o professor doutor Marcos Antonio Camillo de Carvalho, responsável financeiro e coordenador do projeto aprovado pelo CNPq.

    O projeto aprovado tem duração de três anos com término previsto para 2012. Entre os objetivos principais está a ampliação do conhecimento taxionômico ecológico da Amazônia Meridional, promovendo assim inventários padronizados no Parque Nacional do Juruena e na Estação Ecológica do Rio Ronuro; o apoio a coleções científicas da UNEMAT e UFMT e sua infra-estrutura associada, provendo condições necessárias para seu pleno funcionamento, de forma a otimizar o seu aproveitamento como fonte e depositório primários das informações sobre a biodiversidade amazônica; a formação e a qualificação de recursos humanos por meio do apoio à projetos de Iniciação Cientifica, TCC, e dissertação de mestrado em sistemática e ecologia desenvolvidos no âmbito do Projeto, além do desenvolvimento de projeto temático sobre novas estratégias para o uso sustentável da biodiversidade da Zona de Amortecimento do Parque Nacional do Juruena.

    De acordo com a professora Célia "nessa etapa, um grande avanço do programa será o repasse direto dos recursos em conta tipo pesquisador/CNPq, que trará celeridade no desenvolvimento das ações, principalmente na aquisição dos equipamentos e insumos necessários para a realização das atividades de pesquisa; além da possibilidade de acesso a novas unidades de conservação e o desenvolvimento de projeto temático sobre o uso sustentável da biodiversidade".