356 Agentes de Leitura de todo o Ceará participam de encontro.

     

    O III Encontro de Agentes de Leitura do Ceará diplomará os novos agentes, que receberão o material de trabalho (boné, mochila, camisa e fichas de cadastro) e  juntamente aos veteranos  e participam de palestras mesas redondas sobre temas ligados à leitura. Com uma mochila abarrotada de livros nas costas e muita disposição, os agentes de leitura seguem sobre as duas rodas da bicicleta levando a boas histórias para as localidades mais ermas. O projeto do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Cultura, forma jovens incentivadores e propagadores do livro e da leitura, que atuam todas as microrregiões do Estado. Em 2009 foram selecionados e 24 novos agentes na Capital e  164 no Interior. Eles atuarão em 2010.

    Somados aos agentes que já atuam no Ceará, são 356 agentes, que participam nesta sexta-feira (18) e sábado (19) do III Encontro Agentes de Leitura do Ceará. O encontro será realizado na Facultade 7 de Setembro (Rua Alm. Maximiniano da Fonseca, 1395 - Eng. Luciano Cavalcante) e terá palestras e mesa redondas sobre temas ligados ao livro, literatura e a leitura, além da diplomação dos novos agentes de leitura e entrega do material de trabalho. 

    A abertura oficial do Encontro será às 10 horas da sexta-feira, seguida da diplomação dos novos agentes, às 11 horas. No período da tarde, às 14 horas os agentes assistem a palestra  “A Literatura de Cordel no Nordeste”, ministrada por Crispiniano Neto (Secretário de Cultura do Rio Grande do Norte), e às 15 horas  participam da mesa redonda “As políticas públicas de livro e leitura da Secult”, composta por Karine David, Julianne Larens e Raimundo Netto.

    No sábado (19) a programação foca especificamente no projeto Agentes de Leitura permitindo troca de experiências e uma ampla conversa entre os agentes e coordenação do projeto para tirar dúvidas e buscar meios de melhorar a atuação dos mesmos. Às 9h a professora Lìdia Eugênia (Universidade Federal do Ceará) ministra palestra sobre como os Agentes de Leitura podem utilizar melhor o seu acervo, seguida de uma conversa, às 10 horas, com a coordenação do Projeto Agentes de Leitura e de reunião de cada articulador com seus agentes de leitura. O encerramento acontece às 14h30min com a entrega  de materiais de trabalho para Agentes novatos ( mochilas, bonés, camisas e ficha de cadastro das famílias). As bicicletas e um acervo com 70 livros serão entregues aos novos agentes em janeiro.

    Seleção

    Esse ano, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) organizou seleção em 24 municípios. Cada município do Interior atendido possui 10 Agentes de Leitura e um agente articulador. O projeto Agentes de Leitura do Governo do Estado do Ceará é referência nas políticas públicas de incentivo ao livro e está sendo implantado em diversas cidades do país, espelhando-se na metodologia do Ceará. Financiado com recursos do Fundo de Combate à Pobreza (Fecop), o projeto democratiza o acesso ao livro e à leitura, formando e estimulando novos leitores no Ceará.

    Ao todo, 356 Agentes de Leitura do Ceará atuarão no Ceará no próximo ano com como mediadores de leitura. O projeto Agentes de Leitura do Ceara é gerenciado pela Coordenação de Políticas de Livro da Secult-CE, sob coordenação da professora Karine David.

    Em Fortaleza os bairros atendidos são: Curió, Dunas, Pedras, Siqueira, Genibaú, Bom Jardim, Mondumbim, Moura Brasil, Jangurussu e Vicente Pinzón. No interior, os municípios de Assaré, Jardim, Salitre e Nova Olinda (Região do Cariri); Capistrano, Ocara, Mulungu e Itapiúna (Maciço de Baturité); Saboeiro, Lavras da Mangabeira, Catarina e Cariús (Centro Sul/Vale do Salgado); Pedra Branca, Choró, Itatira e Ibaretama (Sertão Central); Tejuçuoca, Apuiarés, Jijoca de Jericoacoara e Amontada (Litoral Oeste); Arneiroz, Aiuaba, Novo Oriente e Ararendá (Inhamuns); Meruoca, Alcântaras, Reriutaba e Mucambo (Vale do Acaraú/Ibiapaba); Ererê e Potiretama (Vale do Jaguaribe) estão no raio de atuação do programa.

    Cada agente selecionado e capacitado vai receber a cada mês uma bolsa complementar de renda no valor de R$ 354,80 durante um ano, tempo de vigência do projeto, além de uma bicicleta, uma mochila e um acervo de 70 livros para realizar os atendimentos domiciliares a famílias com empréstimos de livros, rodas de leitura e contação de histórias junto às famílias de suas comunidades.