ABRUEM participa de mesa temática na CONAE.

     
                Durante os quatro dias em que o CONAE ocorreu, delegados de todo Brasil debateram estratégias e diretrizes para a construção de um novo Plano Nacional de Educação (PNE), que irá vigorar entre 2011 e 2020. Estima-se que cerca de 3.800 pessoas; entre delegados, observadores, pessoal de apoio, de atividades culturais e imprensa participaram do evento.

     

    A CONAE contou em sua plenária final com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva que lembrou das realizações sociais de seu governo. “Ouso dizer que podemos em marcha fazer uma verdadeira revolução na área da educação”, afirmou Lula. O organizador do CONAE, Francisco Chagas realçou o fato do novo PNE ser uma construção democrática da sociedade. “Estamos construindo coletivamente as diretrizes do PNE, e isto é muito diferente das condições que geraram o PNE inicial”, declarou fazendo referência ao PNE que vigorou de 2001 até 2010.

     

    Na mesa temática em que a ABRUEM teve representantes o assunto em debate foi ‘A pertinência social das universidades estaduais e municipais’. Os participantes da discussão foram José Dias Sobrinho, ex-reitor da Uniso; Mário Luiz de Azevedo, vice-reitor da UEM e Carlos Roberto Ferreira, secretário executivo da ABRUEM.

     

    Além de apresentar os palestrantes da mesa, Ferreira destacou a importância da ABRUEM na interiorização do ensino superior no Brasil. “As instituições de ensino que compõe a ABRUEM são aquelas que interiorizam o sistema de ensino superior público no país”, disse Ferreira.

     

    “A função dessas instituições (universidades estaduais e municipais) é produzir e socializar o conhecimento. Elas têm o compromisso de construir patamares mais elevados para a sociedade onde atua”, disse Sobrinho que acredita que as instituições de ensino precisam contribuir para o desenvolvimento humano. Azevedo lembrou que as universidades são importantes para o interior do país. “Elas contribuem para o desenvolvimento de regiões remotas. Sem elas, haveria um prejuízo social e econômico muito grande para diversas regiões”, declarou.

     

    Para estudar formas para a ampliação do ensino público superior e um maior controle de sua qualidade, Azevedo prometeu levar o tema para discussão na ABRUEM.