Unimontes comemora 48 anos com muitos avanços.

     

    A Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) comemora nesta segunda-feira (24), 48 anos de existência. Em 24 de maio de 1962, era criada a Fundação Norte-mineira de Ensino Superior (FUNM). Por intermédio da Constituinte Mineira de 1989, a FUNM foi transformada na atual Unimontes.

     

    Além do campus-sede em Montes Claros, a Universidade conta 11 campi nas regiões Norte e Noroeste de Minas e no Vale do Jequitinhonha: Almenara, Bocaiúva, Brasília de Minas, Espinosa, Janaúba, Januária, Paracatu, Pirapora, Salinas, São Francisco e Unaí - e ainda o Núcleo de Joaíma. A área de atuação corresponde a exatamente 30% do território mineiro, alcançando mais de 300 municípios.

     

    “Ao longo da existência da Unimontes, foram inúmeras as conquistas, fruto do envolvimento e de dedicação de verdadeiros abnegados. Muitos contribuíram de forma anônima. Devemos, sim, nos orgulhar de uma instituição, que, apesar das dificuldades e obstáculos, é hoje reconhecida como uma das melhores universidades do Brasil”, afirma o reitor da Unimontes, professor Paulo César Gonçalves de Almeida.

     

    Entre os avanços, nos últimos anos, ele destaca o crescimento da pesquisa e dos cursos de pós-graduação Stricto sensu – já são sete mestrados próprios. Em 2009, foram investidos R$ 7,75 milhões na investigação científica e tecnológica, para o qual foi preponderante o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). São 220 projetos de pesquisa em andamento, inclusive de incentivo à iniciação científica de acadêmicos, além de 48 grupos de pesquisa constituídos.

     

    Os mestrados próprios são nas áreas de Ciências da Saúde (um profissional e outro acadêmico), Ciências Biológicas, Cuidado Primário em Saúde, Desenvolvimento Social, Letras (Estudos Literários), Produção Vegetal no Semiárido e Zootecnia. Em outubro de 2009, foram iniciados o Mestrado Interinstitucional em Direito e o Doutorado Interinstitucional em Letras, viabilizados a partir de parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Minas (PUC Minas).

     

    É oferecido, ainda, o Doutorado Interinstitucional em Ciências Econômicas - em convênio com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – e o Mestrado Interinstitucional em Artes Cênicas, em parceria com a Universidade Federal da Bahia (UFBA).

     

    O corpo docente totaliza 1.543 professores. Desse total, cerca de 40% possui título de mestre ou doutor. A perspectiva é de aumentar esse percentual, tendo em vista os investimentos na capacitação e na melhoria da qualidade do ensino.

     

    A Unimontes atingiu a marca de 41.976 profissionais graduados nas diversas áreas do conhecimento e, atualmente, conta com aproximadamente 11 mil alunos matriculados nos cursos de graduação, de pós-graduação, modulares e no modelo a distância, esse último oferecido por intermédio do Programa Universidade Aberta do Brasil (UAB), além dos cursos de nível médio.

     

    OBRAS FÍSICAS - Estão sendo implantadas diversas obras físicas para dar suporte às atividades de ensino, pesquisa e extensão e prestação de serviços, além de atender as necessidades da comunidade acadêmica. Uma delas é o Restaurante Universitário, investimento de R$ 1,158 milhão, viabilizado pelo Governo do Estado. A construção será iniciada na próxima semana e deverá ser concluída em seis meses. Além disso, estão em fase de conclusão no Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro, a construção do Centro de Pós-Graduação e a ampliação do prédio da reitoria.

     

    “Todas as conquistas são fruto do trabalho coletivo e solidário. Com a participação e a colaboração dos professores, servidores técnico-administrativos e acadêmicos e o apoio do Governo de Minas, da classe política e todas as lideranças regionais, a Unimontes vai avançar muito mais”, afirma o professor Paulo César de Almeida.

     

    HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE - A FUNM, atual Unimontes, foi criada através da Lei Estadual nº 2.615, de 24 de maio de 1962, de autoria do ex-deputado Cícero Dumont. Em 1963, surgiu a primeira unidade de ensino superior do Norte de Minas, a então Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (Fafil), tendo como entidade mantenedora a Fundação Educacional Luiz de Paula (FELP).

     

    Em 1965, os cursos foram transferidos para o Casarão da Fafil, na rua Coronel Celestino, 75, centro histórico de Montes Claros. A primeira unidade de ensino superior da FUNM foi implantada em 1965, com a Faculdade de Direito (Fadir). Em 1966, a Fafil se desliga da FELP e passa a integrar a FUNM. Em 1968, começaram a funcionar na Fafil os cursos de Matemática, Ciências Sociais e Filosofia.

     

    Depois, foram criadas outras unidades da FUNM: a Faculdade de Medicina (Famed), em 1969; a Faculdade de Administração e Finanças (Fadec), com os cursos de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas, em 1972; e a Faculdade de Educação Artística (Faceart), em 1987. Através da Constituição do Estado (1989), a FUNM foi transformada na Universidade Estadual de Montes Claros.

     

    Através da Lei Estadual nº 11.517, de 13/07/94, foram extintas as Faculdades e criados os Centros de Ensino (Centro de Ciências Humanas - CCH, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - CCBS, Centro de Ciências Sociais Aplicadas - CCSA e Centro de Ensino Médio e Fundamental - CEMF). Em 21/07/1994, através da Portaria nº 1116, do Ministério da Educação, aconteceu o reconhecimento oficial da Unimontes como Universidade.