Seminário evidencia potencial de transformação social do projeto "Unimontes Solidária".

     

    “Todos os dias aprendemos o que vem a ser uma Universidade, ainda mais quando se atua na transformação da realidade através do conhecimento”. A afirmação foi feita pelo vice-reitor da Universidade Estadual de Montes Claros, professor João Canela, ao participar da solenidade de abertura do 1º Seminário do programa “Unimontes Solidária”, realizada nessa segunda-feira (7), no auditório Mário Ribeiro da Silveira (prédio 6, campus-sede).

     

    Além de divulgar o balanço dos atendimentos realizados pela Unimontes na 13ª edição do projeto, que vem sendo realizado ao longo do primeiro semestre de 2010 – 14.418 pessoas beneficiadas em São João das Missões, Ninheira e Monte Formoso –, o evento teve como objetivo recolher sugestões dos próprios acadêmicos quanto à metodologia de trabalho nas áreas de educação, saúde, meio ambiente, esporte e lazer, arte e cultura.

     

    Também participaram da solenidade a pró-reitora de Extensão, professora Marina Ribeiro Queiróz; os coordenadores de Apoio ao Estudante e de Extensão Comunitária, professores Gilson José Fróes e Paulo Eduardo Gomes Barros, respectivamente; e os secretários municipais William Ferraz de Souza (Ninheira) e Dirleide Rodrigues Gil (Monte Formoso). Foram apresentados depoimentos dos universitários participantes e dos representantes dos três municípios beneficiados em janeiro, na primeira visita, e nos retornos entre março e junho.

     

    POTENCIALIDADES - Na avaliação do professor João Canela, “ao mesmo tempo em que atua no combate às desigualdades sociais, o projeto Unimontes Solidária consegue detectar e reconhecer as potencialidades dos municípios atendidos, modificando a realidade local como estabelece o compromisso da Universidade em sua área de atuação”.

     

    Ele destacou ainda que, com 96 projetos, a Unimontes tem sido apontada como uma das mais atuantes entre as 56 universidades estaduais do País na área da extensão. “As atividades extensionistas são imprescindíveis na metodologia pedagógica dos cursos de graduação porque traduz plenamente como é, na prática, a transferência do conhecimento”, complementou o vice-reitor.

     

    SUCESSO - O secretário de Educação em Ninheira (Norte de Minas), William Ferraz de Souza, enalteceu a proposta que o “Unimontes Solidária” oferece em realizar pelo menos três visitas a cada local, “reconhecendo e resolvendo as demandas detectadas no primeiro encontro que os acadêmicos têm com a população”.

     

    Por sua vez, a secretária de Educação de Monte Formoso (Vale do Mucuri), Dirleide Rodrigues Gil propôs a efetivação de novas parceiras entre a Unimontes e a Prefeitura. “Pelo caráter multiplicador, o projeto pôde oferecer à população de Monte Formoso ganhos impressionantes”, opinou.

     

    Já o acadêmico do curso de Medicina, Lindbergh Barbosa Júnior destacou sua primeira experiência no “Unimontes Solidária” como interativa, por permitir a aproximação dos mais diferentes cursos em uma causa única: “a solidariedade”.

     

    Para Vanessa de Souza Lopes, acadêmica do quinto período do curso de História, o projeto se evidencia pelo trabalho multidisciplinar e pelo interesse de a população aprender mais. “O trabalho fica mais fácil quando as pessoas se dispõem a modificar a sua realidade”, observou.