Pesquisas da Unimontes premiadas na XVII Jornada Mineira de Estomatologia.

     

    Dois trabalhos científicos produzidos na Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) foram premiados durante a XVII Jornada Mineira de Estomatologia (JOME), realizada na primeira semana de junho, em Belo Horizonte, reunindo professores, acadêmicos e pesquisadores de todas as instituições de ensino superior de Odontologia de Minas Gerais.

     

    O evento é considerado um dos mais expressivos do país na área de estomatologia, radiologia e patologia bucal. Neste ano, a promoção foi da Sociedade Mineira de Estomatologia (SOME), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Centro Universitário Newton Paiva.

     

    Intitulada “Síndrome de Goldenhar: descrição das características clínicas com ênfase orofacial”, a primeira pesquisa foi apresentada pela acadêmica Daiane Cristianismo Costa, do 7º período do curso de Odontologia no painel de “Casos Clínicos”, e contou com as participações dos professores Mário Melo Filho, Luis Antônio dos Santos, sob orientação do professor Hercílio Martelli Júnior. “Muito importante estar atuando na investigação científica, que considero um complemento indispensável para o conhecimento adquirido na graduação”, analisa a acadêmica.

     

    Também bolsista de iniciação científica da Unimontes há um ano e meio, com um projeto de avaliação estomatológica em recém-nascidos de baixo peso, Daiane destaca a interação que o corpo docente do curso de Odontologia proporciona aos acadêmicos, permitindo a participação dos mesmos em seus projetos de pesquisa. “Ter o trabalho premiado é um incentivo a mais para buscar uma melhor formação profissional”, finaliza.

     

    O outro trabalho premiado – “Anomalia dentais e fissuras labioplatinas não-sindrômicas: uma nova classificação fenotípica?” – foi produzido pelo professor Paulo Rogério Ferreti Bonan, do curso de Odontologia da Unimontes, juntamente com as estudantes Paula de Figueiredo Braga Moura e Carolina Carvalho Santos, também orientada pelo professor Hercílio Martelli Júnior. Este estudo teve a participação da estudante de doutorado da FOP-UNICAMP, Lívia Paranaíba.

     

    PARTICIPAÇÃO EFETIVA – O professor Hercílio Martelli Júnior é coordenador de Pós-Graduação (Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação), bolsista de produtividade científica do CNPq e também professor do curso de Odontologia. Para ele, a participação da Unimontes como de “grande expressão” pela referência que a jornada alcançou na investigação científica brasileira em 17 edições consecutivas.

     

    Segundo ele, a projeção da Universidade é reforçada pela participação do professor Alfredo Maurício Batista de Paula, da Unimontes, como um dos conferencistas sobre clínica e patologia durante o evento. Ainda de acordo com o professor, outros treze professores e acadêmicos da Unimontes também tiveram seus trabalhos selecionados para publicação na Revista “Odontologia, Ciência e Saúde”, organizada pelo CRO-MG. “A Unimontes está em franco processo de consolidação na pesquisa no âmbito da Odontologia”, finalizou.