Termina hoje "1º Encontro Regional de Estudos Rurais", no Centro de Educação da Universidade Estadual da Paraíba.


    Cultura, desenvolvimento sustentável e agricultura familiar foram alguns dos temas que nortearam a abertura do 1º Encontro Regional de Estudos Rurais, ocorrida na noite da terça-feira (14). Realizado pelo Departamento de Serviço Social da Universidade Estadual da Paraíba, em ação conjunta com o Núcleo de Estudos Rurais da Instituição e com o apoio do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (Neab-í), o evento prosseguirá até hoje (16).

     

    Tendo como cerne da discussão o tópico “Ruralidades, desenvolvimento sustentável, políticas públicas e cultura: perspectivas para pensar os direitos humanos e a cidadania na contemporaneidade”, a iniciativa reúne alunos e profissionais de diversas áreas, a exemplo de Serviço Social, Comunicação Social, Direito, História, Geografia, Biologia, Engenharia Agrícola e Agronomia, dentre outras.

     

    A abertura do Encontro contou com a apresentação do Grupo Samba de Côco Mestre Zé Zuca, do município de Queimadas. Coordenado por Adílson Tavares, o Grupo, que existe há mais de um ano, é composto por 24 integrantes, a maioria trabalhadores do campo, com mais de 50 anos de idade.

     

    Após a exibição cultural foi formada a mesa de abertura do evento, que contou com a presença do Pró-Reitor de Planejamento e Desenvolvimento da UEPB, professor Antônio Guedes Rangel Junior, na oportunidade representando a reitora Marlene Alves; do chefe de gabinete da Instituição e coordenador do Neab-í, professor José Benjamin Pereira Filho; da chefe do Departamento de Serviço Social, professora Francisca Rodrigues Mascena; da coordenadora do curso de Serviço Social, professora Thereza Karla de Souza e da representante do Núcleo de Estudos Rurais da UEPB, Alcione Ferreira da Silva.

     

    Na ocasião, o professor Antônio Rangel Junior destacou que a Universidade possui vários projetos e trabalhos envolvendo o campo. “Para a UEPB é importante discutir as questões sociais que englobam o cenário rural. É uma temática com um potencial fantástico, que não deve se esgotar em um só evento”, apontou.

     

    O professor José Benjamin reafirmou a importância do intercâmbio entre a Universidade e o mundo rural. “Boa parcela daqueles que integram a UEPB é originária do campo. Assim, temos um motivo a mais para discutir elementos pertinentes a esse âmbito”, acrescentou.

     

    Resignificações rurais

     

    Um público representativo lotou as dependências do Centro de Educação, que sediou a conferência de abertura, proferida pelo professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Aldenor Gomes da Silva. Engenheiro agrônomo, pós-doutor em Economia pela Universidade de São Paulo (USP) e detentor de larga experiência na área de Economia Rural, Desenvolvimento Sustentável e Agricultura Familiar, o palestrante abordou questões relacionadas às transformações e resignificações rurais no Nordeste, políticas públicas e desenvolvimento sustentável.

     

    Para o docente, eventos semelhantes ao Encontro são essenciais, dado que o mundo contemporâneo vive uma discussão profícua no que concerne ao desenvolvimento sustentável. “Porém, antes de abordar o assunto, é mister compreender o cenário rural e as várias facetas que o integram”, disse.

     

    O palestrante explanou como o meio agrícola perdeu a importância no início da década de 60, enquanto espaço de sociabilidade das pessoas, discorrendo, ainda, acerca do desenvolvimento urbano e industrial que se deu a partir dos anos 70 e os males que isso trouxe para a sociedade. A nova acepção atribuída ao rural, no contexto da atualidade, também foi alvo de análise por parte de Aldenor Gomes da Silva.

     

    Expectativas superadas

     

    Segundo o professor integrante da comissão organizadora do Encontro, Francisco de Assis Batista, o evento superou as expectativas antes mesmo de ser iniciado, levando-se em consideração o número de inscritos acima do previsto. Ele ressaltou a colaboração de professores de outras Instituições de Ensino Superior (IES), a exemplo da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), UFRN e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

     

    Conforme Francisco Batista, a ideia de realização do Encontro surgiu ainda no Núcleo de Estudos Rurais, devido ao interesse demonstrado pela ampliação do debate sobre as questões do campo, não somente no aspecto produtivo, mas também do ponto de vista social.

     

    “No mundo em que vivemos, com o desenvolvimento do capitalismo, em que tudo se torna mercadoria, inclusive o próprio ser humano, nada mais oportuno do que discutir a nossa relação com a natureza e como podemos obter um progresso que esteja associado a sustentabilidade”, assinalou Batista.

     

    O Encontro de Estudos Rurais prossegue até esta quinta-feira (16) com minicursos, mesas-redondas, grupos de trabalho, oficina de coleta seletiva de lixo e conferências.

     

    De acordo com a organização do evento, a perspectiva é que o evento torne-se uma atividade anual da UEPB.