Educação para as relações étnicorraciais será discutida em evento do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas.


     

    “Educação para as relações étnicorraciais” é o tema do III Seminário Nacional de Estudos de Histórias e Culturas Afro-brasileiras e Indígenas, organizado pelo Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neab-í) da UEPB. O evento acontecerá de 16 a 19 de novembro, com atividades concentradas no Centro de Educação (CEDUC), unidade do bairro do Catolé, em Campina Grande.

     

    O III Seminário Nacional reunirá professores, pesquisadores, estudantes de graduação, militantes negros, pós-graduados, comunidades quilombolas, indígenas e de terreiros, a fim de debater estratégias educacionais para a implementação das leis federais que permeiam essa área cultural, a saber: Lei 10639/2003, que traz a obrigatoriedade do ensino da História e Cultura Afro-Brasileira em todos os estabelecimentos educacionais do país; e Lei 11/645/2008, que complementa a anterior, trazendo também a obrigatoriedade do ensino da História e Cultura Indígena no Brasil.

     

    Os interessados em participar podem efetuar a inscrição online até o dia 05 de novembro, no portal www.neabiuepb.com.br. A iniciativa é promovida pela ação conjunta de três grupos de pesquisa: História e Cultura Afro-brasileira, História, Cultura e Ensino e Cotidiano, Cidadania e Educação. Participa também da organização do evento o Curso de Especialização em História e Cultura Afro-brasileira da UEPB - um dos primeiros do gênero no Brasil.

     

    O Neab-í pretende incentivar a ampliação das discussões sobre a condição da população negra e indígena no Brasil contemporâneo, refletindo, principalmente, sobre o Estado brasileiro e a efetivação de ações inclusivas da população negra em todos os setores da sociedade. O empreendimento foi concretizado a partir das pesquisas e discussões efetuadas pelos grupos e por meio das experiências didático-pedagógicas do referido Curso de Especialização.

     

    As inscrições estão divididas em três categorias: 1) Estudantes de graduação, graduados, integrantes de movimentos sociais e professores/profissionais da rede básica; 2) Estudantes de pós-graduação; 3) Professores universitários.