Alunos do 'pedagogia da terra' colam grau nesta sexta-feira.


     

    O reitor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, professor Milton Marques de Medeiros, o superintendente regional adjunto do INCRA/RN, senhor Mário Moacir de Almeida, convidam para a solenidade de Colação de Grau dos Concluintes do Curso de Pedagogia do Projeto Pedagogia da Terra 2010.2.

     

    A primeira turma concluinte do curso superior em licenciatura plena em Pedagogia da Terra, composta por 156 alunos, cola grau no dia 18/03/2011, às 19h, no Ginásio de Esportes Jerônimo Vingt Rosado Maia/ Campus Universitário Central. O paraninfo será o professor Francisco José de Carvalho, coordenador do Projeto Pedagogia da Terra.

     

    O Incra destaca que o curso, do Programa Nacional de Educação para Reforma Agrária (Pronera), teve carga horária de 3.270 horas-aula. A grade curricular incluiu disciplinas com temas relacionados à licenciatura plena em pedagogia e ao meio rural. Os estudantes assistiram aulas presenciais no Campus Central da UERN e no Centro de Treinamento Libânia Lopes Pessoa, em Mossoró. Os concluintes também realizaram vivência nos assentamentos rurais. As aulas foram concluídas em janeiro deste ano com a apresentação da monografia de final de curso, cujo tema foi "Pedagogia e o Meio Rural".

     

    O professor Francisco José de Carvalho, coordenador do Pedagogia da Terra, afirma que os formandos são provenientes de  60 assentamento da reforma agrária e de dez municípios da região polarizada por Mossoró. "Por se tratarem de trabalhadores rurais ou dependentes de trabalhadores rurais, esse pessoal vai atuar diretamente no campo. Eles tiveram uma formação específica.Nós estamos nos antecipando à Política de Educação no Campo, do governo federal", destaca o coordenador do curso complementando que mesmo antes de concluir os estudos, alguns alunos já estão atuando em suas respectivas áreas.

     

    "Alguns já lograram êxito em concursos públicos. Outros estão atuando como professores provisórios e engajados na vida acadêmica", finaliza Francisco José de Carvalho.