Silvério mandato de quatro anos e meio à frente da UENF.

     

    Prometendo inspirar-se numa síntese entre as heranças de Darcy Ribeiro e do movimento popular que levou à criação da Universidade, o novo reitor da UENF, Silvério de Paiva Freitas, assumiu o cargo na tarde desta quarta, 29/06. O aparato de segurança do governador Sergio Cabral estava presente, mas o chefe do Executivo estadual foi representado na sessão solene do Conselho Universitário pelo secretário de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso. O reitor que deixa o cargo, Almy Junior, foi nomeado durante a cerimônia novo presidente da Fenorte.

     

    Em seu discurso de posse, Silvério se comprometeu a atualizar a tecnologia de informação e comunicação, trabalhar pela assistência estudantil, pela acessibilidade, pela construção da biblioteca central e pela expansão quantitativa e qualitativa da extensão, além da busca pela internacionalização de programas de pós-graduação.

     

    - Mais do que avanços pontuais, queremos estar em sintonia com a superação dos desafios postos à nossa região e ao nosso estado - disse o novo reitor, prometendo lutar pela autonomia de gestão financeira.

     

    Silvério dirigiu agradecimentos à comunidade universitária, a sua mãe e familiares presentes e até a sua professora primária, dona Eneia, que veio de longe para prestigiar a posse. Homenageou ainda uma série de pessoas que marcaram sua vida, entre as quais o trabalhador de campo Juvenal, que morreu em serviço, nos braços de Silvério, após infarto fulminante.

     

    Por sugestão do governador Cabral, transmitida pelo secretário Alexandre Cardoso, o ex-reitor Almy Junior ganhou aplausos do auditório lotado - em seu discurso de despedida, Almy chorou ao se referir à mulher e aos três filhos como 'os mais importantes artigos científicos' que já escreveu. Alexandre Cardoso prometeu aliar-se a Silvério na luta pela expansão da UENF, criar uma comissão para estudar a unificação de salários das três universidades estaduais (UENF, Uerj e Uezo) e trabalhar pela atuação da UENF como disseminadora de inovação tecnológica nos municípios da região.

     

    - O campus de Macaé tem que sair neste semestre - disse o secretário, referindo-se à proposta de expansão apresentada pela UENF.

     

    Estudantes marcam presença

    Embora a mesa oficial tivesse representantes dos três segmentos da comunidade universitária, foram os estudantes que conseguiram dar mais visibilidade a suas reivindicações, voltadas para a instituição de mecanismos de assistência estudantil. Bem humorada, a representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Ana Carolina Neri, prometeu manter-se 'no pé' do novo reitor em busca de verbas para moradia estudantil, subsídios para os estudantes no Restaurante Universitário e outros mecanismos de manutenção do estudante.

     

    - O DCE não está aqui para lutar contra ninguém, mas sim para ajudar a construir a Universidade - disse Ana Carolina, enquanto um coro de estudantes cantava uma paródia com referências ao futuro 'Bandejão'.

     

    O presidente da Associação dos Docentes (ADUENF), Raul Ernesto Lopez Palacio, se inspirou em uma palestra do escritor Augusto Kury, durante o III Congresso Fluminense de Iniciação Científica, em realização na UENF, para dizer como pretende liderar a luta corporativa da categoria docente:

     

    - Queremos fechar a janela killer de que sindicato não tem respeito.

     

    O Cerimonial também abriu espaço para a fala dos representantes do Sintuperj e da Associação dos Servidores da UENF (ASSUENF). O deputado estadual Roberto Henriques (PR), vice-presidente da Assembleia Legislativa, saudou a 'espontaneidade dos estudantes' e pediu palmas em homenagem à memória do ex-governador Leonel Brizola.