Aluno do Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática da UEPB é selecionado para Escola de Física na Suíça.

     

     

    O aluno do Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática (MECM) da Universidade Estadual da Paraíba (Campus I), Oberlan da Silva, está entre os 20 professores brasileiros de escolas de Ensino Médio selecionados pela Sociedade Brasileira de Física para participar da Escola de Física da CERN - The European Organization for Nuclear Research (Organização Europeia para a Investigação Nuclear), em Genebra, na Suíça.

     

    A seleção da qual Oberlan participou faz parte do Programa de Educação da CERN, que desde 2007 tem mantido em suas instalações um espaço destinado a professores de escolas secundárias de língua portuguesa, aceitando, em sua Escola de Verão sobre Física de Partículas, professores brasileiros, portugueses e africanos. Durante o período em que ficará em Genebra, entre os dias 04 e 09 de setembro, o mestrando participará de aulas sobre o tema e áreas associadas, sessões experimentais e visitas aos laboratórios da CERN.

     

    Oberlan é licenciado em Física pela UEPB e atua como professor de Ensino Médio em uma escola pública em Pernambuco. Neste ano, ingressou no Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática com um projeto que envolve experimentação, estando sob a orientação dos professores Cidoval Morais de Sousa e Marcelo Gomes Germano.

     

    De acordo com a coordenadora do MECM, professora Ana Paula Bispo, “esta é, sem dúvida, não apenas uma conquista pessoal para Oberlan, mas também institucional, já que mostra novas perspectivas para os futuros professores formados pela UEPB”.

     

    Mais sobre a Escola de Física

    A CERN configura-se como um laboratório científico situado na fronteira entre a França e a Suíça. Lá são realizados grandes experimentos em física de partículas, os quais contam com a participação de cientistas de diversos institutos e universidades do mundo. Através dessa colaboração mútua, a CERN constrói e opera equipamentos para que os físicos realizem seus experimentos. A instituição possui um dos maiores aceleradores de partículas já vistos e atualmente, mais da metade da comunidade de físicos de partículas do mundo está envolvida em projetos na CERN.

     

    A iniciativa de reunir em um curso especial professores de diferentes nacionalidades visa também estimular a participação da mais diversa gama de docentes brasileiros, oriundos das redes particular, municipal, estadual e federal de ensino.

     

    No Brasil, o projeto é encabeçado pela Sociedade Brasileira de Física (SBF), através da Secretaria para Assuntos de Ensino, com recursos oriundos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).