Unimontes apresenta números dos projetos na educação a distância.

     

    Atualmente, a Universidade Estadual de Montes Claros desenvolve sete projetos na modalidade à distância com 25 cursos e benefício direto a 3.725 alunos de 23 municípios de Minas Gerais. São cursos nas áreas de graduação, especialização Lato sensu, técnicos e de extensão e aperfeiçoamento que atendem sete regiões do Estado. Os números oficiais foram apresentados na manhã desta quinta-feira (27/10), durante encontro promovido pelo Centro de Educação a Distância (CEAD) da Unimontes, no auditório do prédio 7 (campus-sede).

     

    Participaram os integrantes da administração superior, diretores de centros, chefes de departamentos e coordenadores de cursos, que acompanharam, dentre as várias informações, a apresentação de um histórico sobre a implantação da educação a distância – desde em 1997, com o Programa de Capacitação de Professores (Procap), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação.

     

    “Este momento retrata a potencialidade da Unimontes em qualificar realidades e estimula a nossa esperança por novas conquistas. As dificuldades são transitórias, mas a democracia é permanente e é preciso reconhecer o que a Unimontes faz para cumprir seus desafios”, analisou o reitor João dos Reis Canela.

     

    A vice-reitora Maria Ivete Soares de Almeida citou a complexidade deste trabalho, a começar pela elaboração dos projetos pedagógicos dos cursos para a aprovação integral junto ao Ministério da Educação. Já na parte prática, pontuou a vice-reitora, a educação a distância hoje contempla inclusive os tradicionais cursos regulares da própria universidade através das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs). “Compete às instituições públicas estaduais levar o ensino superior para o interior do Brasil e a Unimontes segue à risca mais esta missão”, acrescentou.

     

    Números

    Diretor do CEAD, professor Jânio Marques Dias considerou como ousadia o desafio que a Unimontes assumiu ainda nos anos 90 de promover a educação a distância e, de lá para cá, os próprios avanços conquistados justificam a capacidade que a Universidade tem de transpor limites. “O efeito da educação a distância é quase imediato; qualifica realidades e, por isso, estamos prontos para assumir novas metas”;

     

    O coordenador administrativo do CEAD, Fernando Guilherme Veloso Queiroz, fez a apresentação dos números. Segundo ele, a Associação Brasileira de Educação a Distância aponta um crescimento próximo aos 40% ao ano no funcionamento de cursos nessa modalidade em todo o País. Sobre a Unimontes, somente no período entre 2008 a 2010 a instituição recebeu investimentos da ordem de R$ 34 milhões para o desenvolvimento de seus sete projetos de educação a distância, aplicados em infraestrutura didática e de laboratórios, e de custeio, principalmente. Nesses três anos, o número de alunos cadastrados na plataforma virtual da Unimontes saltou de 3,5 mil (2008) para 14 mil (dezembro de 2010).

     

    Projetos

    Como um dos destaques no trabalho feito pela Unimontes está a chamada inclusão acadêmica. No programa Universidade Aberta do Brasil (UAB), por exemplo, que oferece sete cursos em 14 polos diferentes, 82% dos 1,6 mil alunos estão cursando sua primeira graduação. Desses, 57% já possui 30 ou mais anos de idade. “A vantagem do ensino associado à tecnologia está na capacidade imediata de atualização do conhecimento. Isso é inovação”, analisou a coordenadora de projetos do CEAD, Maria Ângela Lopes Dumont Macedo.

     

    Além da UAB, a Unimontes executa atualmente os projetos Pró-Licenciatura (345 vagas em dois cursos e seis polos), Mídias na Educação (650 vagas para cursos de extensão, aperfeiçoamento e especialização em cinco polos), Programa Nacional de Formação em Administração Pública – PNAP (600 vagas em quatro cursos em sete municípios), Educampo (60 vagas no curso de Pedagogia no campus-sede), Escola Técnica Aberta do Brasil – e-Tec (450 vagas para seis cursos em três polos), além das Tecnologias de Informação e Comunicação para cursos presenciais – TICs/Unimontes (financiado pela Capes, com 1,8 mil alunos em 4 cursos).

     

    “Sempre gostei de ser educadora e mesmo morando na zona rural consegui realizar meu sonho através da UAB”, relatou Divina Soares, de 48 anos, concluinte do curso de Pedagogia no polo de Francisco Sá, cujo depoimento foi exibido ao final do encontro desta quinta-feira.