ABRUEM garante negociações para intercâmbio com universidades alemães.

     

    Na manhã desta quarta-feira (20/06), a comitiva da ABRUEM visitou a Universidade Ludwig Maximilians (LMU) – Universidade de Munique,  sendo recebida pelo vice-presidente para Assuntos Internacionais, Ulrich Pohl, que se manifestou em relação ao ‘Ciência Sem Fronteiras’ e as várias formas de cooperação acadêmica internacional.  Essa instituição está entre as 11 universidades da Alemanha (2012/2017), em ranking elaborado pelo governo alemão para incentivar as pesquisas de ponta no país e a integração com as áreas de tecnologia e inovação.

    A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) deu início as negociações para possibilitar o intercâmbio de alunos com a Faculdade de Medicina da Universidade de Munique. O professor Everson Augusto Krun integrante da comitiva e diretor-adjunto do Setor de Ciências Biológicas e da Saúde da UEPG,  se reuniu com o professor Daniel Heinrich para possíveis intercâmbios acadêmicos.  A Universidade Ludwig Maximilians (LMU) – Universidade de Munique possui 50 mil estudantes (15% estrangeiros), com amplo programa de internacionalização e direcionamento para a pesquisa.

    Outra instituição visitada foi a Friedrich Alexander Universidade de Erlangen-Nuremberg, que integra o sistema universitário do estado da Baviera. A instituição de está entre as universidades clássicas, com campi em várias cidades da região. Entre suas áreas de excelência destacam-se Medicina, Direito, Odontologia, Farmácia, Economia, Ciências Naturais e Engenharias. Dos 33.500 estudantes, 2,5 mil são estrangeiros. Fora isso, a universidade possui vagas para receber estudantes através do “Programa Ciências Sem Fronteiras”, do Governo Federal.

    A comitiva brasileira foi recebida pelo reitor Karl Dieter Grudke; vice-reitor Christoph Korbmacher; chefe do Escritório de Assuntos Internacionais, Brigitte Perlick; diretora do Centro Universitário da Baviera para a América Latina; e diretora executiva da área de Pós-Graduação, Mônica Mayer.

    Considerado o estado mais rico e produtivo da Alemanha, a região da Baviera possui 11 universidades clássicas, 19 universidades de Ciências Aplicadas e três universidades de Artes. Além disso, possui um Centro Acadêmico da Baviera para América Latina (BayLat), que interage e coordena as relações com 19 países latinos.