UEMS/Jardim é contemplada com R$100 mil em Programa de Eficiência Energética.

     

    Uma parceria estabelecida entre a Enersul e a UEMS/Jardim vai permitir que a unidade universitária economize 26% de seus gastos com energia, percentual equivalente a mais de R$2,2 mil por mês. A ação faz parte do Programa de Eficiência Energética desenvolvido em todo o país pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que tem por objetivo promover a utilização racional da energia elétrica e o combate ao desperdício.

    Estudos realizados em um pré-diagnóstico energético na UEMS de Jardim apontam que atualmente a Unidade gasta R$8.680 por mês em sua conta de energia, a maior parte referente aos sistemas de iluminação e de ar-condicionado. Com a implantação do Programa de Eficiência Energética, a Unidade terá uma redução de 38% em seus gastos com iluminação e de 18% com ar-condicionado. No geral, o pré-diagnóstico apontou a possibilidade da Unidade reduzir em mais de um quarto (1/4) seus gastos mensais com energia.

    Para realização do projeto, a Enersul investirá na Unidade aproximadamente R$100 mil, valor que será empregado na estruturação da rede de energia e aquisição de equipamentos mais econômicos. A estimativa é de que em 45 meses a economia gerada pelas ações pague o investimento realizado, com a Universidade economizando mensalmente R$2.234.

    O gerente da unidade da UEMS em Jardim, Sidney Kuerten, foi quem iniciou a negociação do projeto junto a Enersul há aproximadamente um ano. Ele conta que desde o início a empresa de energia mostrou-se receptiva ao projeto de reestruturar a parte elétrica da Unidade.

    De acordo com Sidney, através da parceria, o prédio terá todas as suas lâmpadas substituídas por outras com maior capacidade energética. “Além disso todos os nossos ares-condicionados de caixa serão substituídos por splits e os que já tínhamos receberão limpeza e manutenção completa”, explica o gerente.

    Os benefícios trazidos para a UEMS através do projeto não param por ai. Até janeiro de 2013, prazo prevista para conclusão do projeto, a unidade receberá sensores de movimento e “o melhor”, segundo palavras de Kuerten, um sistema de produção de energia solar que vai gerar uma economia mensal na casa dos 300kW/hora ao mês, equivalente a R$215.

    O gerente destaca que todos os materiais substituídos durante o projeto, como as lâmpadas por exemplo, serão encaminhados adequadamente para a reciclagem. A ação começa já a partir deste mês de agosto. A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (Agepan) també é parceira da Universidade no projeto.