Inovação Tecnológica é tema de discussão no segundo dia do Fórum de Reitores.

    Na tarde do segundo dia do 52º Fórum Nacional de Reitores contou com a palestra intitulada “Desafios para a Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil”, proferida pelo coordenador geral de Serviços Tecnológicos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Jorge Mário Campagnolo. A apresentação teve como mediador o reitor da Universidade Estadual de Maringá (Uem), Julio Santiago Prates Filho.

    Na oportunidade, Jorge Mário Campagnolo tratou dos Programas de Apoio à Inovação Tecnológica no Brasil, destacando os principais programas desenvolvidos no país que incentivam a educação, a inovação e o empreendedorismo para a construção de novos conhecimentos voltados para a área tecnológica, apresentando dados para o desafio da ciência, tecnologia e inovação.

    Apresentou informações sobre o Plano Brasil Maior, do governo federal, que é focado no estímulo a inovação e a produção nacional para alavancar a competitividade da indústria nos mercados interno e externo. Além disso, o palestrante tratou o programa “Ciência sem fFronteira”, que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional.

    Ele ainda ressaltou a importância do Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação – TI Maior, que é pautado em cinco pilares: Desenvolvimento Econômico e Social, Posicionamento Internacional, Inovação e Empreendedorismo, Produção Científica, Tecnológica e Inovação e Competitividade.

    Para Jorge Campagnolo, “muito do conhecimento desenvolvido aqui é utilizado lá fora. É preciso que o Estado incentive a aplicação da inovação e do empreendedorismo na área de tecnologia. A meta é elevar o dispêndio nacional em produção e desenvolvimento”, concluiu o representante do MCTI.