Abruem vai mudar de sede e decisão por novo local será tomada no 59º Fórum de Reitores

    Associação tem duas opções: seguir com Crub para nova sede própria do Conselho ou locar um espaço exclusivo

    O Crub (Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras) está de mudança. Vai deixar a Associação Médica de Brasília, no Setor de Clubes Esportivos Sul, para tomar posse e usufruir do andar a que tem direito no prédio construído no terreno onde ficava localizada a antiga sede do Conselho. Com a transferência do Crub, a Abruem também deverá deixar as atuais instalações.

    "A Abruem acompanha o Crub em sua sede desde que o Conselho disponibilizou um espaço para a Associação dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais ainda nas instalações antigas", contextualiza Aldo Nelson Bona, presidente da Abruem. O local foi cedido para uma construtora, que ergueu no local um prédio comercial e, em troca, ofereceu ao Crub um andar todo. Durante o período em que duraram as obras, essa construtora locou e pagou por um espaço para abrigar o Crub e as demais quatro entidades ligadas ao ensino superior que estavam instaladas conjuntamente com o Conselho no antigo prédio. "É neste sentido", lembra Aldo, "que a Abruem está hoje na Associação Médica de Brasília, dividindo espaço com o Crub e com as outras associações de universidades, ocupando esses mesmos espaços".

    Com a conclusão da obra edificada no terreno do Crub, o Conselho vai para sua nova sede e, com isso, o contrato de locação com a Associação Médica de Brasília será encerrado. Por isso, alerta o presidente da Associação, "a Abruem precisa decidir o seu destino - ou ela vai junto com o Crub nessa nova sede ou ela passa a ocupar um novo espaço a ser definido de acordo com as possibilidades orçamentárias, financeiras e de localização possíveis em Brasília".

    A proposta do Crub para a Abruem e para as outras quatro associações que, com ele, dividem hoje o espaço é a cessão de salas de uso individual de cada entidade e, principalmente, de espaços de uso coletivo. "Em contrapartida, os custos operacionais de manutenção desse andar do Crub e do condomínio devem ser rateados entre os usuários. A divisão seria 48% do valor pago de modo igualitário pelas cinco associações, a Abruem entre elas, e os outros 52% seriam assumidos pelo Crub", conta Bona. "A perspectiva é que para a nossa Associação caiba uma contribuição mensal de, aproximadamente, 3.500 reais".

    Essas possibilidades precisam ser discutidas pelos reitores integrantes da Associação e, por isso, o assunto estará na pauta da Reunião Plenária que será realizada no próximo dia 20, durante o 59º Fórum da Abruem. "Precisamos decidir se a Abruem vai permanecer junto com o Crub e bancando essa despesa, ou se a Abruem com este recurso ou com um valor um pouco menor, eventualmente, opta por locar um espaço próprio na região central em Brasília", finaliza Aldo.