UEG e RGI assinam protocolo de intenções

     

    Uma solenidade na manhã de ontem (04), no auditório da Unidade de Ciências Exatas e Tecnológicas, em Anápolis, marcou a assinatura do protocolo de intenções entre a Universidade Estadual de Goiás e a Rede Goiana de Inovação (RGI), com o objetivo de desenvolver o Programa de Incubadoras da Universidade.
    Estiveram presentes: o pró-reitor de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis, Marcos Torres; a presidente da RGI, Maria Inês Miranda; o presidente da Funtec, Hélio Naves; o gerente executivo do Banco do Povo, Goiazin Zani de Morais, representando o secretário Estadual de Planejamento, José Carlos Siqueira; a presidente da Fundação Universitária do Cerrado, Vera Maria, que representou o senador Marconi Perillo; a coordenadora do Sebrae Anápolis, Tânia Aparecida Silva; o presidente do DCE-UEG, Francisco Lucas; diretores de unidades da UEG, professores e alunos.
    O Grupo de Dança Por Quá abriu o evento com a performance “Eu danço. Me pergunte como”.
    Para o pró-reitor de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis, Marcos Torres, o Programa de Incubadoras da UEG deve motivar, através do conhecimento, o desenvolvimento do Estado. A expectativa, segundo o pró-reitor, é que em médio prazo seja instalada uma incubadora em cada unidade da UEG.
    Segundo a presidente da RGI, Maria Inês Miranda, o número de incubadoras no Brasil cresceu 35%. “Quem passa por esse processo tem o diferencial de receber apoio para se manter no mercado”, disse Maria Inês ao justificar que grande parte das empresas morre nos primeiros anos vítimas da falta de conhecimento. Para ela, a incubadora reverte essa situação e a UEG inova ao fazer o papel de atender a sociedade com ações que permitem às pessoas melhorar de vida por meio do empreendedorismo assistido.
     
    O programa - O objetivo do Programa é transferir o conhecimento produzido na Universidade para a sociedade, estimulando uma maior participação da UEG no desenvolvimento social, cultural, econômico, científico, ambiental e tecnológico de Goiás.
    O Programa também tem como objetivo a elaboração e o aperfeiçoamento de projetos de micro e pequenas empresas em fase inicial ou já consolidadas, a capacitação dos empreendedores para que se tenha a inserção competitiva destas novas empresas no mercado, e o provimento das condições necessárias ao funcionamento das mesmas, gerando empregos, renda e melhoria de produtos e serviços que agreguem inovação tecnológica.
    O Programa de Incubadoras da Universidade Estadual de Goiás esta vinculado à Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis e será um instrumento de desenvolvimento de empreendimentos inovadores, tradicionais e de cooperativas populares junto à comunidade acadêmica da Universidade. (Dirceu Pinheiro)