Pesquisa na Unimontes registra avanços significativos

     

    Nos últimos cinco anos foram registrados avanços expressivos na área da pesquisa na Universidade Estadual de Montes Claros. Em 2007, o número de projetos em andamento chegou a 164 nas diversas áreas do conhecimento, sendo aplicado o total de R$ 5,3 milhões, quase o dobro do valor investido em 2006 (R$ 2,7 milhões), “viabilizados principalmente pelo Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e da Fapemig”, ressalta o reitor, professor Paulo César Gonçalves de Almeida, que comemora a evolução ocorrida no período: “os números falam por si e são incontestáveis: em 2003 eram apenas 74 projetos”.
     
    Segundo o reitor, “a Unimontes busca a excelência na investigação científica. E o mais importante é o fato de desenvolver projetos voltados diretamente para a superação dos problemas e para a melhoria da qualidade de vida da população nas regiões onde a Universidade está inserida”. Na sua avaliação, este crescimento é estimulado, também, pela implantação de cursos de pós-graduação stricto sensu – já são seis cursos próprios de mestrados em funcionamento, todos reconhecidos pela Capes/Ministério da Educação, além do Doutorado Interinstitucional em Economia, desenvolvido em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
     
    Ainda neste ano, informa o professor Paulo César de Almeida, deverão ser implantados mais três mestrados próprios – Letras, História e Gestão, este último em conjunto com a Escola de Governo da Fundação João Pinheiro.
     
    “Graças ao empenho e à competência dos professores e pesquisadores, ao apoio dos servidores técnico-administrativos e à participação de acadêmicos, especialmente daqueles envolvidos na iniciação científica, a Unimontes vem atuando como produtora de conhecimento, cultura, ciência e inovação tecnológica”, observa o reitor. Destacando o apoio recebido de outros órgãos e agências de fomento, como o CNPq, ele lembra que “as pesquisas têm apresentado resultados altamente positivos em diversas áreas, tais como ciências biológicas e da saúde, agrárias, humanas e sociais aplicadas”.
     
    Para a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, professora Silvia Nietsche, “o desenvolvimento do conhecimento científico, tecnológico e cultural é peça fundamental para o avanço da humanidade e a Unimontes é fator-chave neste processo”, acrescentando que os projetos em andamento “são fundamentados nas dificuldades regionais, a fim de serem encontradas as soluções almejadas pela sociedade”.
     
    Área da saúde - A contribuição para a melhoria das condições de saúde da população regional é uma das conseqüências dos projetos de investigação científica executados pela Unimontes. Estão sendo realizados cerca de 40 projetos especialmente no âmbito dos dois mestrados em Ciências da Saúde – um profissional e outro acadêmico.
     
    “As pesquisas são voltadas para a melhoria do atendimento às necessidades dos serviços de saúde, mas resultam, também, na melhoria da qualificação dos profissionais”, afirma o professor João Felício Rodrigues Neto, que integra o corpo de pesquisadores da Universidade e é coordenador do programa de pós-graduação em Ciências da Saúde.
     
    João Felício é responsável também por três projetos. Um deles pretende avaliar “O uso da medicina complementar e alternativa na cidade de Montes Claros”. Entre os objetivos do estudo, em fase de conclusão, está o levantamento da freqüência da utilização da homeopatia no município.
     
    As outras pesquisas abordam a “Qualidade de vida e fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis em Montes Claros” (a ser concluída até o final de 2008) e “Educação e formação na área de saúde”, com o objetivo de avaliar a formação dos médicos para atenção primária à saúde, com conclusão prevista para 2009.
    Pode ser mencionado, ainda, entre outros projetos desenvolvidos nesta área, o “Levantamento epidemiológico das condições de saúde bucal da população de Montes Claros”, coordenado pela professora Andréa Maria Eleutério de Barros Lima Martins, do departamento de Odontologia. Financiado pela Fapemig, o estudo deverá ser concluído até o final do ano, tendo como objetivo verificar as reais condições de saúde bucal e a incidência de cáries. Serão entrevistadas cerca de 8 mil pessoas. “Vejo de forma muito positiva o suporte à pesquisa na universidade. A Unimontes não é mais apenas uma instituição de ensino e extensão, mas também de pesquisa de qualidade”, diz a professora Andréa Eleutério.
     
    Outra área que vem se destacando é a de Ciências Sociais, com mais de 40 estudos em andamento, sendo enfocados, entre outros temas, políticas públicas, comunidades tradicionais, desenvolvimento sustentável, cidadania e os problemas socioeconômicos da região.
     
    Entre as pesquisas realizadas é apontada, como exemplo, a que aborda a “Delinqüência infanto-juvenil e as múltiplas formas de afirmação do crime em Montes Claros”. Até o final deste ano, deverá ser apresentado diagnóstico sobre o envolvimento de adolescentes em delitos no período de 2005 a 2008. “Vamos saber quais são os tipos de crimes cometidos pelos adolescentes, qual o perfil dos envolvidos e onde estão localizados”, esclarece a professora Maria Ângela de Figueiredo Braga, responsável pela pesquisa. “A infra-estrutura de logística oferecida aos pesquisadores é fundamental, permitindo que a Unimontes deixe de simplesmente repassar informações para se tornar uma geradora de conhecimentos”, afirma Maria Ângela Braga.