UEPG desenvolve pesquisa com a cultura da videira do Paraná

     

    O efeito da aplicação do gesso na videira Niagara Rosada ganhou estudo na dissertação de mestrado em Agronomia de Julius Blum, graduado na área pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). A pesquisa contou com o apoio de Sergio Sozim, presidente da Associação de Produtores de Uva da Região dos Campos Gerais, que há anos colabora no desenvolvimento de aulas práticas e na condução de experimentos do curso de Agronomia da UEPG.
     
     
    A idéia de Sergio Sozim sobre a realização de um trabalho que atendesse aos produtores de uva da região motivou o desenvolvimento da dissertação “Aplicação de gesso agrícola na cultura da videira Niagara Rosada”, no mestrado de Agronomia da instituição. Com orientação do professor-doutor Ricardo Ayub, o objetivo do estudo de Julius Blum foi o de avaliar a aplicação de gesso nos atributos químicos de um solo com alta acidez em superfície, na nutrição de uva, Niagara Rosada.
    Na descrição da pesquisa, Blum registra que as alterações no solo provocadas pela aplicação de gesso são complexas e a resposta do uso de gesso pode estar relacionada com a melhoria no ambiente radicular no subsolo. Outro aspecto importante para a cultura da videira, bem como para qualquer atividade frutícola é a condição de se ter boas mudas, sobretudo com tipicidade varietal e com padrão de sanidade, segundo Ricardo Ayub, que, atualmente, cursa pós-doutorado na área de fruticultura, na Ecole Nationale Superieure Agronomique de Toulose (França). Ele diz que “aceitar a idéia de Sozim para a realização de pesquisa com limpeza de vírus em videira é um desafio, porque nos força a trabalhar em uma área específica da fitopatologia, a virologia, que não é simples. Ricardo Ayub só lamenta o fato dos R$ 34 mil aprovados pela Fundação Araucária para o atendimento ao projeto não permitir a compra de uma casa de vegetação. “A casa é imprescindível para a manutenção das mudas que serão introduzidas na cultura de tecidos e para a propagação do material já isento de vírus”.
     
    Para o desenvolvimento deste e de outros projetos de pesquisa do curso de Agronomia, Ricardo Ayub assinala que já solicitou recursos da Unidade Gestora do Paraná Tecnologia, mas ainda não obteve sucesso. No suporte ao trabalho de pesquisa na área de eliminação de vírus em videira, Ayub solicita a ajuda às cooperativas e grandes empresas do agronegócio na doação de uma casa de vegetação. Ele explica que se trata de um investimento em torno de R$ 200 mil, que pode ser descontado no imposto de renda. Com desenvolvimento desde julho de 2007, os trabalhos de pesquisa na área contam com a presença de alunos da pós-graduação e dos cursos de Biologia, Agronomia e Farmácia. Ricardo Ayub espera, em dois anos, obter resultados que possam contribuir para a instalação de uma empresa incubadora, gerando emprego e renda em Ponta Grossa e região para atender às necessidades dos fruticultores.
     
    Ricardo Ayub salienta que os recursos oriundos da Fundação Araucária ajudam na compra de materiais de consumo, visto que o Laboratório de Biotecnologia da UEPG se encontra bem equipado e, desde 2002, presta serviço de detecção de transgênicos. Das pesquisas desenvolvidas na UEPG, o professor Ricardo salienta que a ajuda para o desenvolvimento do projeto significa muito na realização de pesquisas para eliminação de vírus em planta de videira. O professor Ayub diz que os resultados da pesquisa podem ser aplicados também a outras plantas, como a batata, muito cultivada na região.