Presidente da ABRUEM destaca necessidade das Universidades ampliarem capacidade na pesquisa e pós-graduação.

    Para uma universidade fora do centro, a pesquisa e a pós-graduação são fatores vitais na modificação do perfil socioeconômico regional

     

         “A nossa vocação para liderar o desenvolvimento regional nos fez e nos faz fortes”, disse João Carlos Gomes, reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), na solenidade de abertura do 43° Fórum Nacional de Reitores da Abruem (Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais) que ocorreu, ontem, dia 8, no Hotel Jatiúca, em Maceió (AL). Destacando em seu programa de palestras e mesas-redondas o tema “A pesquisa e a Pós-Graduação”, o fórum desenvolve a sua programação até a próxima sexta-feira, dia 10. Com organização das universidades estaduais de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) e de Alagoas (Uneal), o evento apresentou em sua abertura a palestra “O cenário de Alagoas e a educação superior”, marcando a presença do professor-doutor Cícero Péricles de Oliveira Carvalho, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEAC) da Universidade de Alagoas.

     

        Na presidência da Abruem, desde maio deste ano, João Carlos Gomes assinalou, em seu discurso, que a pesquisa e a pós-graduação são alavancas de desenvolvimento nacional, principalmente regional. “As instituições estaduais e municipais têm entendido, cada vez mais, a importância da conquista de novos patamares nesses setores, assumindo por meio dessa atitude uma posição central no panorama do ensino superior do país”. O presidente da Abruem ressaltou, ainda, que embora muitas das instituições filiadas à entidade estejam em grandes centros, uma das marcas da rede Abruem é a sua presença no interior, em cidades menores, em regiões periféricas. “Essa característica, vista no passado como algo até negativo, apresenta-se hoje como um dos principais trunfos de nossa rede, pois a idéia da interiorização do ensino superior vem sendo valorizada pelo Governo Federal”.

     

    INTERIORIZAÇÃO, PESQUISA E INTERNACIONALIZAÇÃO

     

        Para o reitor João Carlos Gomes, esse momento é um incentivo para as instituições que formam a Abruem e que fazem essa interiorização há décadas, a partir de sua criação na força social e cultural dos municípios, das regiões e dos estados. Ele enfatiza que esse vínculo histórico pressupõe grande desafio para as universidades filiadas à Abruem, ou seja, ampliar a sua capacidade de pesquisa e pós-graduação, conquistando posições qualitativas similares às das universidades centrais, sem perder de vista o compromisso social ligado às atividades científicas. “A pesquisa e a pós-graduação foram e continuam sendo fatores decisivos para nossas instituições”, disse João Carlos, enfatizando que “assumimos a missão de construir uma rede altamente sofisticada de ensino superior nas regiões por meio do incentivo à qualificação docente, o fortalecimento da pesquisa e à ampliação da oferta de pós-graduação”.

     

        “É em prol da melhoria da qualidade de vida das comunidades mais próximas de nossas instituições que intensificamos nossos esforços para melhorar e diversificar nossas atividades científicas e culturais”, assinalou João Carlos Gomes, registrando a necessidade de investimentos constantes na pesquisa e na pós-graduação. Ele registrou que, para uma universidade fora do centro, a pesquisa e a pós-graduação são fatores vitais na modificação do perfil socioeconômico regional. Enfatizando essa realidade, João Carlos Gomes salientou que nas regiões mais periféricas em que a pós-graduação em nível de mestrado e de doutorado não existe, há uma evasão de cérebros. “Eles procuram se qualificar em outros centros e, raramente voltam à sua origem, deixando de contribuir para a modificação das realidades regionais”. Por isso, segundo João Carlos Gomes, há a necessidade urgente de se ampliar a oferta da pós-graduação.

     

        Considerando que muitas das instituições que estão na Abruem, pela natureza de seu surgimento, são novas na pesquisa e na pós-graduação, João Carlos Gomes fez questão de destacar a sua forte presença na graduação. “Crescemos e cresceremos na pesquisa e na pós-graduação, mas sempre a partir da qualidade da graduação”. Com esse olhar, conforme João Carlos, as universidades mantém uma relação entre a graduação, a pós-graduação, a pesquisa e a extensão. “Não podemos perder de vista esse perfil, porque ele nos diferencia nacionalmente”. Outro aspecto destacado pelo presidente da Abruem refere-se à abertura de caminhos para a internacionalização das instituições filiadas à entidade. Para essa ação, ele aponta as oportunidades de intercâmbios de alunos e professores, bem como a participação nos avanços sociais, culturais e científicos globais. Neste aspecto, João Carlos fala da necessidade da socialização das pesquisas através de publicações técnicas, de patentes ou de ações extensionistas, para uma maior participação nas verbas destinadas ao ensino superior do país.