UEM recebe Prêmio do CNPq.

        O reitor Décio Sperandio recebeu, na segunda-feira (20), em Brasília, o Prêmio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), na categoria Mérito Institucional do Prêmio Destaque do Ano na Iniciação Científica, por apresentar o maior índice de egressos titulados na pós-graduação. A entrega foi durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

     

        Para o prêmio deste ano, foram levantados dados de ex-bolsistas do Pibic (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica) que receberam mensalidade no período de 1994 a 2004 e, destes, identificados os que se titularam na pós-graduação de 1996 a 2006. Desta comparação, resultou o número de egressos titulados por instituição. A UEM teve 1.395 ex-bolsistas de Pibic de 1996 a 2004 e, destes, 535 se titularam na pós-graduação de 1996 a 2006. A UEM desenvolve quase mil projetos de iniciação científica. São 406 IC com bolsas, 46 IC Junior e 501 sem bolsas. Atualmente conta com 82 cursos de especialização, 28 de mestrado e 12 de doutorado.

     

        Estão matriculados 2 mil alunos de especialização, 1.018 de mestrados e 373 de doutorado. Já titulou 5.997 especialistas, 2.837 mestres e 417 doutorados. Outros 2.829 alunos receberam o certificado de cursos de atualização. O prêmio é um reconhecimento aos trabalhos de destaque entre os bolsistas de iniciação científica do CNPq e as instituições participantes do Pibic que contribuíram de forma relevante para o alcance das metas do Programa.

     

        Segundo o vice-reitor Mário de Azevedo, o prêmio concedido pelo CNPq para a UEM é a confirmação de que a Instituição fez as opções corretas ao longo de sua história e representa o reconhecimento do esforço da nossa Universidade no campo da ciência, envolvendo alunos e professores. A cada ano, apenas uma universidade recebe o prêmio na categoria Mérito Institucional por apresentar o maior índice de egressos titulados na pós-graduação.

     

        DADOS – A UEM ficou na primeira colocação entre as universidades do Paraná, de acordo com a avaliação do Índice Geral por Competências (IGC) do MEC, e está entre as 20 instituições com maior produção científica e tecnológica do país. Hoje, a instituição conta com cerca mil estudantes realizando trabalhos de iniciação científica na universidade. Destes, 400 têm bolsa do Pibic e da Fundação Araucária, instituição de apoio ao desenvolvimento cientifico e tecnológico do Paraná e vinculada à Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti).

     

        Com 93% dos docentes trabalhando em tempo integral e dedicação exclusiva, a UEM se destaca na graduação, na pós-graduação e nas parcerias com prefeituras, empresas dos setores público e privado.