Ministério da Ciência e Tecnologia abrirá edital específico para a pesquisa e pós-graduação.

    O presidente da ABRUEM e reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), João Carlos Gomes esteve hoje (11) em Brasília para uma audiência com o Ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Machado Rezende que estava acompanhado do assessor especial Ronaldo Mota. O objetivo da visita foi entregar diretamente ao Ministro, a documentação solicitada na audiência realizada em 18 de novembro. Naquela ocasião o ministro Rezende destacou a importância da contrapartida para o lançamento de um edital nos próximos meses para projetos de pesquisa e pós-graduação. Para o lançamento desse edital solicitou informações das Instituições de Ensino Superior (IES), filiadas à ABRUEM, e dos estados e municípios da federação com relação ao compromisso da contrapartida oferecida como aporte financeiro que deverá estar previsto no orçamento de 2009. As contrapartidas seguem as normas do MCT, nas proporções para alguns Estados de 1/1 (MCT/Estado) e para outros de 2/1 e 3/1, de acordo com a região geográfica.

     

    O referido edital prevê a liberação de recursos financeiros através da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) para investimentos de infra-estrutura das universidades estaduais e municipais associadas à ABRUEM. Os investimentos são destinados à melhoria das condições de pesquisa e pós-graduação das universidades.

                O presidente João Carlos procedeu a entrega oficial dos documentos que informam o montante financeiro que cada governo e prefeitura assumiu como contrapartida, junto ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), que darão subsídios para a liberação dos recursos. Em seguida, o Ministro Sérgio Rezende determinou à sua assessoria que elaborasse o projeto de edital para as IES que deverá ser divulgado já no início de 2009. “Pela primeira vez é elaborado um edital específico da FINEP/MCT para apoio à pesquisa e pós-graduação das IES estaduais e municipais filiadas à ABRUEM. Uma vitória que trará ganhos incontáveis a estas áreas de grande poder transformador”, ressalta João Carlos.