Pesquisa de Odontologia da Unitau beneficia população de Taubaté e região.

                 O Departamento de Odontologia da Universidade de Taubaté (UNITAU), por meio do Núcleo de Pesquisa Periodontal (Nuper), inicia neste mês um estudo pioneiro na América Latina que tem como principal meta instruir medidas preventivas de saúde bucal.  A pesquisa pretende, em linhas gerais, verificar como as pessoas de Taubaté e região cuidam dos dentes e oferecer informações que as façam melhorar a higiene bucal.

    O estudo, financiado por uma empresa multinacional com apoio da Fapeti (Fundação de Apoio a Pesquisa e a Tecnologia) da UNITAU e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade, deverá contar com a participação de 420 pessoas e terá duração de seis meses. Além do Brasil, o trabalho, que já é desenvolvido nos Estados Unidos há alguns anos, deverá ser realizado também no Canadá e na Alemanha.  

    A pesquisa conta com a participação de 15 pesquisadores da UNITAU que atualmente, trabalham no processo de seleção de pessoas interessadas em participar do projeto. “Essa pesquisa é importante porque pode ajudar as pessoas a se prevenirem contra uma série de doenças relacionadas à gengiva e também outros problemas bucais, como tártaro e cáries”, explica o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação, Prof. Dr. José Roberto Cortelli, coordenador do estudo.

    Para participar do estudo, os candidatos devem atender a alguns requisitos: ter no mínimo 18 anos, não usar aparelho ortodôntico ou dentadura, não fazer uso de antibióticos e não possuir nenhum problema de saúde grave. “O estudo só pode incluir indivíduos a partir dos 18 anos porque, nesta faixa de idade, todos os dentes já estão praticamente erupcionados (formados), e a proposta do estudo é o de avaliar o maior numero possível de dentes”, explica Cortelli. “Não escolheremos usuários de dentadura ou aparelho porque exigem métodos efetivos de limpeza que não estão preconizados nesta pesquisa”, acrescenta.   

    Todos os voluntários selecionados para o estudo receberão orientação de higiene bucal e medidas de prevenção em saúde. Aqueles que, eventualmente, não forem selecionados para a pesquisa, por terem problemas bucais um pouco mais graves, serão encaminhados para atendimento na Clínica Odontológica da Instituição.

                Segundo Cortelli, o estudo funcionará da seguinte forma: todo participante será examinado e aqueles incluídos no estudo receberão, a cada mês, um kit contendo uma escova de dentes, um creme dental e um enxaguatório bucal. Os voluntários também terão de responder a um questionário diário que apresentará questões objetivas referentes aos cuidados que cada um deles tem com a higiene bucal. Ao longo do estudo, serão feitos exames de boca, principalmente de avaliação das condições de inflamação das gengivas e a presença de placa bacteriana e de cáries dentárias. Para participar da pesquisa, basta entrar em contato nos telefones (12) 3025 0058 e (12) 9192 9952 e agendar uma avaliação.