Uneal ofertará curso superior para assentados.

    Universidade vai implantar curso, por meio de convênio com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

     Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) firmou convênio com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para a implantação do primeiro curso de nível superior no Estado destinado exclusivamente a assentados.

     
                  O curso de Geografia será ministrado no Campus de Palmeira dos Índios e serão abertas 50 vagas para assentados da região. Para se candidatar ao curso, os interessados devem ser assentados, filhos ou netos de camponeses; ter concluído o Ensino Médio e apresentar documentação completa.


                 De acordo com o reitor Dacio Brito, o Incra de Alagoas espera apenas o parecer final de uma comissão do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) para oficializar o convênio com a Uneal.

     
                 A representante do MST responsável pelo acompanhamento do convênio, Franqueline Terto dos Santos, explicou que já há experiências semelhantes em outros estados. A assistente social coordena, em Alagoas, a Escola Nacional Florestan Fernandes, ligada ao movimento. Para ela, “trata-se de um grande avanço na educação no campo em Alagoas”.


                 O professor Antônio Marcos Pontes de Moura, da Uneal, vai coordenar o curso e destaca a importância da integração da universidade com a realidade dos assentamentos.


                O curso faz parte do Pronera, que é um programa educacional do Incra e tem como objetivo a ampliação dos níveis de escolarização formal dos trabalhadores rurais assentados.