Uefs reúne cordelistas no Projeto Lua Cheia.

    O Projeto Lua Cheia – Literatura de Cordel reunirá, segunda-feira (13), no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), cordelistas xilógrafos e repentistas para exposição de grandes coleções, venda dos trabalhos, além de cantoria e contação de “causos”. O evento, que começa às 19 horas,  é coordenado pelo Núcleo de Cultura Popular do Cuca, a partir do Projeto Lua Cheia, que desta vez contempla a Literatura de Cordel.

     

    Dentre os participantes estão Jurival Alves da Silva, Julio Rodrigues Silva, Antonio Alves da Silva, Luiz Natividade, Franklin Machado, Caboquinho e João Ramos, Jota Caxias e Francisco Lucas de Oliveira, escritor e violeiro repentista, membro da Ordem Brasileira dos Poetas de Literatura de Cordel.

     

    Originalmente oral, e depois impressa em folhetos rústicos, a Literatura de Cordel é um tipo de poesia popular. Os folhetos são expostos para venda geralmente pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome que vem de Portugal, onde era  tradição pendurar folhetos em barbantes ou cordões.

     

     Os folhetos são ilustrados com xilogravuras, o mesmo estilo de gravura usado nas capas. As estrofes mais comuns são as de dez, oito ou seis versos. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores.

     

    Vários escritores nordestinos foram influenciados pela literatura de cordel, dentre eles João Cabral de Melo Neto, Ariano Suassuna, José Lins do Rego e Guimarães Rosa.