Pós-graduação Stricto sensu é realidade na Unimontes.

    A capacitação profissional, sobretudo dos docentes e pesquisadores, tem sido uma das prioridades da Universidade Estadual de Montes Claros. Desde a implantação de seu primeiro programa de pós-graduação Stricto sensu, em 2004, na primeira gestão do atual reitor, professor Paulo César Gonçalves de Almeida, a Unimontes já formou 97 mestres. Atualmente, a instituição reúne 197 alunos em seus sete mestrados próprios, todos reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) do Ministério da Educação (MEC).

     

    “Estamos determinados a incrementar ainda mais a pós-graduação Stricto sensu, principalmente, porque os resultados alcançados nesta área são altamente relevantes para a instituição, com repercussão positiva não somente na melhoria da qualidade de ensino, como também no crescimento da investigação científica”, afirma o reitor.

     

    Segundo ele, a implantação dos sete programas próprios é fruto do empenho e dedicação da comunidade acadêmica, “sendo indispensável salientar, ainda, o apoio decisivo do Governo de Minas, através da Fapemig e da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior”.

     

    MESTRADOS PRÓPRIOS - O primeiro mestrado próprio da Unimontes, na área de Desenvolvimento Social, foi implantado em 2004, na primeira gestão do reitor Paulo César de Almeida. Em seguida, foram criados os mestrados em Produção Vegetal no Semiárido e de Ciências Biológicas (2006); dois em Ciências da Saúde – acadêmico e profissional (Cuidados Primários da Saúde) –, em 2007; Zootecnia, em 2008; e Letras/Estudos Literários, em 2009.

     

    Conforme números apresentados pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, nesse período, já foram formados pela Unimontes mestres nas áreas de Desenvolvimento Social (51), Produção Vegetal no Semiárido (12), Ciências Biológicas (15), Ciências da Saúde/Acadêmico (11) e Cuidados Primários da Saúde/Profissional (8).

     

    Atualmente, a Unimontes possui 301 mestrandos, assim distribuídos: Desenvolvimento Social (100), Produção Vegetal no Semiárido (59), Ciências Biológicas (43), Ciências da Saúde/Acadêmico (35), Cuidados Primários em Saúde/Profissional (20), Zootecnia (28) e Letras/Estudos Literários (16).

     

    Os avanços também são ressaltados pelo professor Hercílio Martelli Júnior, coordenador de Pós-Graduação, da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Unimontes. “O crescimento da pós-graduação resulta em melhor qualificação técnica e científica dos docentes, mas, paralelamente, deve ser considerado o avanço da pesquisa, com a evolução da quantidade de alunos envolvidos nos programas de iniciação científica”, enfatiza o professor Hercílio Martelli.

     

    Ele observa, ainda, o aumento do número de publicações de artigos científicos e resumos de trabalhos de pesquisa produzidos por professores e alunos dos cursos de mestrado da Universidade. “Nitidamente, verifica-se uma repercussão positiva dos cursos de pós-graduação Stricto sensu também na melhoria dos cursos de graduação, assim como na maior prestação de serviços à sociedade”, destaca o coordenador.

     

    “O crescimento do conceito da universidade em nível nacional também ficou mais evidente com a implantação dos novos programas de mestrados próprios, despertando o interesse de profissionais de outras regiões do País”, conclui o coordenador de Pós-Graduação da Unimontes, ao lembrar que todos os mestrados oferecem, ainda, as disciplinas isoladas, cujo número de vagas e de áreas temáticas é variável a cada semestre.