Reitor da Unoesc visita sete universidades da Argentina, Uruguai e Chile.

    O objetivo é a implantação de intercâmbios de estudantes de graduação e a integração de professores da Unoesc com docentes dessas instituições em atividades de pós-graduação, pesquisa e extensão Dez dias de viagem em três diferentes países da América Latina, visitas a sete importantes universidades, possibilidades de intercâmbio de estudantes e professores da Unoesc e de outras instituições do Sistema Acafe nas mais diversas áreas: esses foram alguns dos aspectos relevantes da viagem realizada pelo Reitor da Unoesc, Aristides Cimadon, no final de maio.

     

    Acompanhado dos vice-reitores dos campi de Xanxerê e de São Miguel do Oeste, Genesio Téo e Vitor Carlos D’Agostini, o Reitor estabeleceu contatos e fortaleceu relações com instituições do Uruguai, Argentina e Chile. O objetivo principal é a implantação de intercâmbios visando à melhoria da formação dos estudantes de graduação e a integração de professores da Unoesc com docentes dessas instituições em atividades de pós-graduação, pesquisa e em cursos de extensão.

     

    Por meio dos programas de mobilidade estudantil, professores e alunos da Unoesc podem cursar e validar disciplinas em universidades do exterior ou desenvolver estágios em áreas específicas, ampliando sua formação. Entre outros projetos está o desenvolvimento e publicação de pesquisas integradas com instituições e pesquisadores estrangeiros.
    Cimadon destacou a importância de a Unoesc se inserir nesse contexto pela possibilidade de agregar conhecimentos e experiências tanto para o currículo quanto para a elaboração e publicação de artigos científicos em revistas estrangeiras. “A educação desses três países tem destaque mundial, sobretudo o Chile, que é um país de referência na América Latina; suas instituições universitárias representam um potencial de qualidade inigualável.”
    Segundo o Reitor, a participação em intercâmbios abre inúmeras possibilidades de ascensão na carreira profissional, além do contato com culturas diferentes, que proporciona uma visão de mundo também diferente. “Através da Coordenadoria de Assuntos Interinstitucionais, a Unoesc está fazendo o possível para implementar ações a partir no segundo semestre de 2009 e, sobretudo, em 2010”, completou. 

     

    Visitas – Em Montevidéu, no Uruguai, o Reitor visitou a Universidad de La República, uma das mais antigas da América Latina, que concentra mais de cem mil estudantes, onde efetivou possibilidades de intercâmbio de alunos e professores na área jurídica e da Saúde.  Em Buenos Aires, na Argentina, foram visitas à Universidad de La Mantanza, que possui a mesma configuração jurídica que a Unoesc, com possibilidade de intercâmbio no Curso de Direito, cujo foco, assim como o da Unoesc, é nos Direitos Humanos, e à Universidad de Morón, para intercâmbio na área das Ciências Biológicas.

     

    No Chile, os dirigentes visitaram a Universidad Del Pacífico, com ênfase na formação de profissionais de Publicidade e Propaganda, a qual já desenvolve programa de mobilidade estudantil com a Unoesc.  O objetivo foi fortalecer os intercâmbios já existentes e ampliá-los para os cursos de Veterinária e Agronomia. Outro projeto possibilita a mobilidade de professores dessa instituição para a Unoesc visando à realização de palestras e cursos de especialização.

     

    Foi visitada, ainda, a Universidad de Las Américas, para intercâmbio na área de Educação Física e desportos, a Universidad Andrés Bello, instituição privada que possui inúmeros professores brasileiros, onde foi concebida a idéia de se desenvolverem projetos de pesquisa e publicações integradas nas engenharias, e, por fim, a Universidad de Valparaíso, no litoral do Pacífico, um antigo forte, para intercâmbio nos cursos de Arquitetura e da Saúde, sobretudo Medicina, Odontologia, Fisioterapia, Enfermagem e Farmácia.