UPE promove primeira Oficina de Integração do projeto Tele saúde.

    A Universidade de Pernambuco (UPE) promove, na próxima segunda-feira (29/06), a 1a Oficina de Integração do Projeto Telessaúde da Universidade. Na ocasião, o projeto será apresentado aos gestores de instituições parceiras.

    O evento, na sua primeira fase, tem por objetivo contribuir para processo de educação permanente à distância em saúde, aprimorar o modelo das redes de telessaúde e fortalecer o intercâmbio entre a Universidade e o sistema único de saúde (SUS).

     A abertura da oficina será feita pelo Reitor da UPE, Prof. Carlos Calado. Ainda na programação, haverá uma visita ao Núcleo de Telessaúde da Universidade (Nutes) e uma palestra de apresentação do projeto, que será ministrada pelo Coodenador de Extensão e Cultura da Faculdade de Ciências Médicas da instituição (FCM/UPE), Prof. Raul Antônio Morais Melo.

     O encontro será realizado das 8h30 às 12h30, no Centro Pedagógico Prof. Luiz Tavares da Silva do Hospital Universitário Oswaldo Cruz da UPE (Huoc), que fica na Rua Arnóbio Marques, 310 – Santo Amaro. Mais Informações através do telefone: (81) 3183-3516.

     TELESSAÚDE: Uma ação nacional de parceria entre os Ministérios da Saúde, Educaçã e Ciência e Tecnologia, que inclui, entre suas várias ações, a utilização das modernas tecnologias de informação e comunicação, visando à qualificação da atenção à saúde.

     O Programa Nacional de Telessaúde, objetiva desenvolver ações de apoio à assistência à saúde e sobretudo, de educação permanente de Saúde da Família, visando à educação para o trabalho e, na perspectiva de mudanças de práticas de trabalho, que resulte na qualidade do atendimento da Atenção Básica do SUS.

     O Telessaúde Brasil tem por objetivo integrar as equipes de saúde da família das diversas regiões do país com os centros universitários de referência, para melhorar a qualidade dos serviços prestados em atenção primária, diminuindo o custo de saúde através da qualificação profissional, redução da quantidade de deslocamentos desnecessários de pacientes e por meio do aumento de atividades de prevenção de doenças, através das seguintes ações:

     - Implantação de uma infra-estrutura de informática de telecomunicação para o desenvolvimento contínuo a distância dos profissionais das equipes de Saúde da Família, a partir da utilização de multimeios (biblioteca virtual, videoconferência, canais públicos de televisão, vídeo streaming e chats);

     - Estruturação de um sistema de consultoria e segunda opinião educacional entre especialistas em Medicina de Família e Comunidade e preceptores de Saúde da Família, profissionais da Atenção Primária e Instituições de Ensino Superior;

     - Disponibilização de capacitação para o uso das tecnologias de informação e comunicação.