Parceria entre UNEB e Prefeitura de Prado vai beneficiar 1,2 mil índios pataxós.

    Uma parceria entre a Universidade do Estado da Bahia e a Prefeitura Municipal de Prado, no extremo sul baiano, vai beneficiar 1,2 mil índios da etnia pataxó, com a implantação de uma unidade da Incubadora de Empreendimentos Solidários (Incuba) da universidade no distrito de Camuruxatiba, naquele município.

     O Núcleo Indígena da Incuba será inaugurado nesta sexta-feira, dia 10 de julho, com investimentos em infraestrutura no valor de R$14 mil, oriundos da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da UNEB, setor ao qual está vinculada a Incuba. A prefeitura cedeu o espaço compartilhado da Biblioteca Comunitária de Camuruxatiba, que abrigará o núcleo.

     O local vai ser utilizado como sede para a execução de ações extensionistas, de ensino e pesquisa da Incuba UNEB, previstas no projeto Putxop, coordenado pela professora Maria Geovanda Batista, do Departamento de Educação (DEDC) do Campus X da universidade, em Teixeira de Freitas, que também vai coordenar o núcleo. Criado há um ano, o projeto visa o desenvolvimento econômico e social das sete aldeias indígenas que compõem o município de Camuruxatiba.

     O Putxop conta apoio da Secretaria de Educação do município de Prado; da Coordenação de Educação Escolar Indígena, da Secretaria estadual da Educação (SEC); da Fundação Nacional do Índio (Funai); da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), e da ONG Unitrabalho.

     A inauguração será prestigiada também por professores e estudantes do DEDC. Outras autoridades também estão sendo aguardadas, a exemplo do prefeito de Prado, João Alberto Viana, mais conhecido como Jonga; do secretário de Educação do município, George Soares; da coordenadora de Educação Escolar Indígena (SEC), Rosilene Tuxá, além de vereadores, representantes da Funai e comunidades indígenas das etnias tupinambá, hã-hã-hãe e pataxó do sul e extremo sul da Bahia.

     

    Mais informações no site www.uneb.br.