Gildo Volpato e Márcio Fiori são empossados reitor e vice-reitor da Unesc.



    Os professores doutores Gildo Volpato e Márcio Antonio Fiori foram empossados dia 30 de junho os novos reitor e vice-reitor da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), de Criciúma, para o período 2009-2013. A sessão de posse aconteceu no teatro municipal Elias Angeloni, foi presidida pelo ex-reitor Antonio Milioli Filho e contou com a presença de inúmeras autoridades de Santa Catarina.

     

    Volpato e Fiori disputaram e venceram a eleição ocorrida em 03 de junho passado, fazendo 68,63% dos votos válidos dos estudantes, professores e funcionários. A Unesc é uma das duas instituições do sistema Acafe onde o reitor é eleito pelo voto direto, secreto e universal da comunidade acadêmica. Os novos gestores assumem uma instituição com onze mil alunos, em 34 cursos de graduação e 23 de pós-graduação, em nível de especialização, além de três mestrados e um doutorado próprios.

      
     

     Quem são

      

    Gildo Volpato, 46 anos, é doutor em Educação pela Unisinos, de São Leopoldo, RS, e mestre em Educação Física pela UFSC. Iniciou suas atividades no magistério em 1982 como professor de Educação Física e atuou nas redes municipal, estadual e particular de ensino.

     

     

    Ingressou como professor na Unesc em 1986, onde exerceu diversas funções. Márcio Fiori, 37 anos, é mestre em Física do Estado Sólido e doutor em Engenharia Química na UFSC. Participou da implantação e coordenou o curso de Engenharia de Materiais na Unesc, auxiliou na criação da Unidade Acadêmica de Ciências, Engenharia e Tecnologias - UNACET e coordenou a área tecnológica no projeto Angola.


      

    Compromisso
       

    Gildo Volpato prometeu dar continuidade ao trabalho do professor Antônio Milioli Filho, de quem foi vice-reitor no período 2001-2009. Disse que a "universidade só tem sentido se for capaz de colocar o seu patrimônio de ciência e de cultura a serviço das organizações públicas e privadas, dos grupos culturais e dos movimentos sociais" e que só cumprirá este papel "se não abdicar, nunca, de sua autonomia".

     

    Volpato disse ainda que "é impossível exercitar o verdadeiro sentido do que é uma universidade se as instituições não tiverem uma 'massa crítica' necessária, um corpo docente altamente qualificado e uma boa infraestrutura de laboratórios, biblioteca, espaços de convivência, espaços culturais e de tecnologias de informação adequadas".

     

    O professor reafirmou que a Unesc deve continuar "se constituindo como uma universidade de caráter comunitário, aberta, que acolhe e respeita a diversidade política, cultural, religiosa, de gênero e de pensamento, que seja comprometida com o desenvolvimento sociocultural e com a melhoria da qualidade de vida da população".