Conselho Estadual de Educação reúne-se na UERR.


     

    A Universidade Estadual de Roraima foi sede nesta terça (28) à tarde da reunião semanal do Conselho Estadual de Educação. O reitor da UERR, Nonato Vilarins, e a pró-reitora de Ensino, Leila Perussolo, apresentaram aos conselheiros a estrutura da instituição e falaram sobre o papel que desempenha para ajudar a desenvolver social e economicamente os municípios.

    O Conselho Estadual de Educação de Roraima é o órgão normativo, consultivo, fiscalizador e deliberativo do sistema de ensino em Roraima. É constituído por 11 membros, indicados pelo Secretário de Estado da Educação, Cultura e Desportos e nomeados pelo Governador do Estado para um mandato de quatro anos. Os conselheiros atuam nas câmaras de Educação Básica e de Educação Superior.

    O reitor Nonato Vilarins, quem também faz parte do conselho, apresentou algumas das ações da UERR  para fortalecer a educação básica, como a formação continuada de professores e oferta de 22 cursos de graduação, sendo 11 licenciaturas e 11 bacharelados.

    Vilarins destacou que a Universidade tem como foco principal contribuir para a melhoria da educação básica mas que não esquece de seu papel para o crescimento econômico da região. Por isso, investe na capacitação dos recursos humanos necessários para o crescimento dos setores de produção e serviços. “Não adianta pensar em desenvolvimento sem pessoal qualificado. Nós temos que firmar as condições para que isso aconteça, e essas condições incluem os nossos cursos de pós-graduação”, afirmou, referindo-se às diversas especializações ofertadas pela UERR.

    A interiorização do ensino superior promovida pela UERR foi definida pelo reitor como uma revolução silenciosa. Hoje, são cerca de cinco mil alunos distribuídos em 15 localidades de 12 municípios. Desde que foi criada, 1.230 pessoas concluíram cursos de graduação, 90% delas em  pedagogia. “Temos 260 docentes, 67 deles mestres e doutores. Todas as semanas, os nossos carros rodam 4.184 km levando e trazendo professores das localidades. É um grande desafio consolidar a UERR, mas percebemos que ela já é reconhecida pela população”, disse Nonato Vilarins.

    O reitor anunciou para os conselheiros que a Universidade pretende lançar neste semestre um edital para contratar 60 docentes mestres e doutores, fortalecendo tanto os cursos da Capital como os do Interior.

    A pró-reitora Leila Perussolo apresentou aos conselheiros as concepções da UERR, entre elas a filosofia e a metodologia do ensino, e falou sobre os objetivos gerais dos 22 cursos, quem tem como base a formação contextualizada e o pensamento crítico.

    O Conselho Estadual de Educação é o órgão que autoriza o reconhecimento dos cursos da UERR. Atualmente, são reconhecidos os de pedagogia, matemática, física e química. Estão nesse processo os de administração, comércio exterior, letras, segurança pública, serviço social e turismo.